ESPORTE, RACISMO E NAZISMO

UMA ANÁLISE DO FILME RAÇA (2016) ATRAVÉS DAS LENTES DOS DIREITOS HUMANOS

  • Carolina Campos Lima Gonzaga dos Santos UNEB

Resumo

O presente artigo objetiva problematizar as flagrantes violações aos direitos humanos e as interlocuções entre racismo e esporte no período de ápice do nazismo. O eixo norteador é a análise do filme Raça (2016), uma história real do atleta negro, o americano Jesse Owens, que em 1936 na edição das Olimpíadas de Berlim na Alemanha e diante dos olhos de Adolf Hitler ganhou quatro medalhas de ouro, quebrando recordes mundiais no atletismo. O filme aborda cenas contundentes de racismo, a interferência política no esporte e o uso deste como viés para a propaganda ideológica nazista. Como fio condutor dessa análise, através das lentes dos Direitos Humanos, realizou-se um exame crítico por meio de um acervo documental de cunho bibliográfico, inferindo, portanto, que o racismo foi cruel com o atleta, bem como a importância que o esporte teve - e tem - revelando-se como sustentáculo sócio-político.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carolina Campos Lima Gonzaga dos Santos, UNEB

Discente do curso de Direito do campus XIX Camaçari. Formada em Educação Física (2009) pela Universidade
Estadual de Santa Cruz – UESC, pós – graduada em Psicomotricidade e professora da
rede pública municipal do 1º ao 7º ano no ensino fundamenta

Publicado
2021-05-11
Métricas
  • Visualizações do Artigo 378
  • PDF downloads: 678
Seção
Sobre Filmes e Direito