Proposta de Jogo Sério para Reabilitação Motora

Tiago de Souza Araujo, Manoel Ribeiro Filho

Resumo


Jogos Sérios são jogos desenvolvidos para um determinado objetivo, no qual são utilizados processos interativos como forma de entretenimento com objetivo de auxiliar no aprendizado de algum conceito ou treinamento/desenvolvimento de alguma habilidade. A área de reabilitação fisioterapêutica tem utilizado os Jogos Sérios como ferramenta de auxílio no processo de reabilitação motora. Este artigo apresenta a proposta um Jogo Sério denominado Game de Apoio Fisioterapêutico – GAFT, o qual tem como foco principal a reabilitação motora de pacientes submetidos a tratamento fisioterapêutico. O desenvolvimento da ferramenta contou com a participação de 2 profissionais da área de domínio (1 fisioterapeuta e 1 terapeuta ocupacional) e com a participação de 5 pacientes que estão em reabilitação motora de membros superiores e/ou inferiores. Foi utilizada a métrica System Usability Scale (SUS) para avaliar o jogo proposto. A partir das respostas obtidas nos questionários foi possível verificar o atendimento dos critérios: facilidade de aprendizagem do jogo (86,25), eficiência do jogo (78,33), nível de inconsistências (75,00), satisfação do usuário (86,67) e facilidade de memorização (85,00). O Score SUS foi de (85,50), sugerindo que o jogo proposto possui utilidade no processo de reabilitação motora.


Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, Q. J, Bhatt, H. A Manipulation of Visual Feedback during Gait Training in Parkinson's Disease. Parkinsons Dis. 2012;2012:508720.

Balista, V. G. “PhysioJoy: Sistema de Realidade Virtual para Avaliação e Reabilitação de Défict de Motor. XII Simpósio Brasileiro de Jogos e Entretenimento Digital, pp. 16-20, 2013

Bangor A, Kortum P, Miller J. Determining what individual SUS scores mean: adding an adjective rating scale. J Usability Stud. 2009;4:114-23.

Baxter, M. Projeto de Produto: Guia Prático para Desenvolvimento de Novos Produtos. São Paulo: Edgard Blücher, 1998.

Brooke J. SUS: a quick and dirty usability scale. Usability Eval Ind. 1996;189:4-7.

Cruz, A.P, Lima, T. B. O uso da realidade virtual como ferramentas de inovação para a reabilitação de pacientes com Doença de Parkinson: uma revisão literária, Caderno de graduação, UNIT, 2015.

Engholm, J. H. Engenharia de software na prática. São Paulo. 2010

Farias, E. H. et al., “MOLDE - A Methodology for Serious Games Measure-Oriented Level Design,” XIII Simpósio Brasileiro de Jogos e Entretenimento Digital, pp. 29–38, 2014.

Fernandes, F. G. et al., Realidade Virtual e Aumentada Aplicada em Reabilitação Fisioterapêutica Utilizando o Sensor Kinect e Dispositivos Móveis. 2014. Disponível em < http://www.ceel.eletrica.ufu.br/artigos2014/ceel2014_artigo005_r01.pdf>. Acesso em 11 de maio de 2019.

Filho, S. F. F, Jucá, P. M. “Uso de Jogos Sérios para Auxiliar na Reabilitação Motora de Pacientes com Espondilite Anquilosante”, XIV Simpósio Brasileiro de Jogos e Entretenimento Digital, pp 919–925, 2014

Gomide J.V.B. Captura Digital De Movimento no Cinema de Animação. Dissertação [Dissertação em Artes] – UFMG. Minas Gerais, pp. 38. 2013.

Kiusalaas, J. Numerical Methods in Engineering with Python. 1. ed. Nova York: Cambridge, 2005.

Kortum P. T, Bangor A. Usability ratings for everyday products measured with the System Usability Scale. Int J Hum Comput Interact. 2013;29:67-76.

Likert, R. A technique for the measurement of attitudes. Archives in Psychology, pp. 1-55, 1932

MAKEHUMAN. MakeHuman 1.1.1. [online] Disponível em: http://www.makehumancommunity.org/content/downloads.html/. Acesso em: 02 jun. 2018.

NI MATE. Ni mate 2.12. [online] Disponível em: https://ni-mate.com/. Acesso em: 02 jun. 2018.

Preece, J. R, Sharp Y. H. Design de Interação: além da interação homem-computador. Porto Alegre: Bookman, 2005.

Silva, S. S. R. da; Filho, M. R. ARVRE: Ambiente de Realidade Virtual para Reabilitação Motora e Estímulo Cognitivo, XIII Simpósio Brasileiro de Jogos e Entretenimento Digital, pp. 675–678, 2014.

Tenório, J. M. et al., Desenvolvimento e Avaliação de um Protocolo Eletrônico para Atendimento e Monitoramento do Paciente com Doença Celíaca, Revista de Informática Teórica e Aplicada, Volume 17, No 2, pp. 211-200, 2010, doi.org/10.22456/2175-2745.12119.

UPBGE. Upbge 0.2.4. [online] Disponível em: https://upbge.org/. Acesso em: 02 jun. 2018.

Zyda, M. From visual simulation to virtual reality to games. Computer, v. 38, n. 9, p. 25-32, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.