A CONSTRUÇÃO DE UM HEALTH GAME PARA O SUPORTE BÁSICO DE VIDA: ESTRATÉGIA PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM NA SAÚDE

Rejane Reis dos Santos, Suiane Costa Ferreira, Misael Cruz dos Santos, Lucas Guerra Lima, Davih de Andrade Machado Borges

Resumo


Os jogos com um propósito específico que oferecem experiências voltadas ao aprendizado são classificados como Serious Games. Quando esses jogos digitais estão voltados para a temática da saúde são denominados Health Games. Esse tipo de jogo proporciona ao jogador a experiência de estar imerso em um assunto ou problema estudado fazendo com que eles encarem as dificuldades, criem estratégias, possuam a tomada de decisões e tenham um rápido feedback de suas atitudes. Nesta perspectiva, o jogo digital enquanto espaço de aprendizagem pode contribuir significativamente no processo de educação formal, principalmente na área da saúde. A partir desta perspectiva, este artigo tem como objetivo descrever o desenvolvimento de um protótipo do Health Game Socorrista em Ação, voltado para o ensino-aprendizagem do suporte básico de vida diante de uma parada cardiorrespiratória.



Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, L. 2008. Relações entre os jogos digitais e aprendizagem: delineando percurso. Educação, Formação & Tecnologias, 1 (2), 3-10.

AMERICAN HEART ASSOCIATION (AHA). 2015. Atualização das diretrizes de RCP e ACE. Available from: https://eccguidelines.heart.org/wp-content/uploads/2015/10/2015-AHA-Guidelines-Highlights-Portuguese.pdf. [Accessed 15 January 2019].

ANDERSON, D.R. et al. 2007. Estatística aplicada à administração e economia. 2.ed. São Paulo: Editora Cengage Learning.

BATTAIOLA, A.L. 2000. Jogos por Computador. Histórico, Relevância Tecnológica e Mercadológica, Tendências e Técnicas de Implementação. In: Proceedings XIX Jornada de Atualização em Informática, do XIX Congresso Nacional da SBC. Available from:

CAILLOIS, R. 1990. Os jogos e os homens. Lisboa. Portugal: Cotovia.

CARDOSO R.R et al. 2017. Suporte básico de vida para leigos: uma revisão integrativa. Unimonte Científica, 19 (2), 1-10.

DIAS J.D. et al. 2016. Desenvolvimento de serious game como estratégia para promoção de saúde e enfrentamento da obesidade infantil. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 24, 1-9.

DIGITAL GROUP (DOT). 2017. Available from: https://dotgroup.com.br/pt/. [Accessed 5 January 2019].

DERRYBERRY, A. 2007. Serious games: online games for learning. Adobe Systems. White Paper: Adobe Press. Available from: http:.adobe.com/.../elearning/.../serious_games_wp.pdf. [Accessed 22 January 2019].

FERNANDES J.M.G et al. 2014. Ensino de Suporte Básico de Vida para Alunos de Escolas Pública e Privada do Ensino Médio. Arquivo Brasileiro de Cardiologia, 102(6), 593-601.

GARONE, P., NESTERIUK, S. 2018. Design e educação a distância: ensaio crítico sobre o processo de gamificação. In: Gamificação em Debate. SANTAELLA, L et al (Orgs). São Paulo: Blucher.

GEE, J.P. 2010. Bons Videojogos + Boa Aprendizagem: Coletânea de Ensaios sobre os Videojogos, a Aprendizagem e a Literacia. Tradução de: Maria de Lemos Teixeira. Portugal: Edições Pedago.

HUIZINGA, J. 2014. Homo ludens: O jogo como elemento da cultura. Tradução de: João Paulo Monteiro. 8ed. São Paulo: Perspectiva.

MICHAEL, D., CHEN, S. 2006. Serious games: Games that educate, train, and inform. Boston: Thomson Course technology.

TOBASE L. et al. 2017. Suporte básico de vida: avaliação da aprendizagem com uso de simulação e dispositivos de feedback imediato. Rev. Latino-Am. Enfermagem, 25, e2942.

TSUDA M. et al. 2014. Análise de métodos de avaliação de jogos educacionais. Proceedings of SBGames.

VASCONCELLOS M.S et al. 2016. A Saúde na Literatura Acadêmica sobre Jogos: uma análise das publicações do SBGames. Proceedings of SBGames.

VASCONCELLOS M.S. et al. 2018. O jogo como prática de saúde. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.