Memorial de Formação: trajetórias e reflexões de professores da Educação de Jovens e Adultos (EJA)

Josinélia dos Santos Moreira, Kátia Maria Santos Mota

Resumo


O referido trabalho tem como objetivo registrar a trajetória profissional de professores, expressando suas histórias de vida docente vinculadas à Educação de Jovens e Adultos (EJA). O artigo apresenta reflexões de dez professores da EJA, de Jequié-BA, refletindo sobre suas práticas pedagógicas por meio da escrita de um texto autobiográfico (memorial formativo). Eles foram convidados a escrever sobre as suas trajetórias como professores, suas experiências profissionais e tudo mais que quisessem escrever sobre o período dedicado a essa modalidade de ensino. O trabalho ora apresentado é um recorte de uma tese de doutorado denominada ‘Docência na EJA: um olhar sobre a formação dos professores na perspectiva multicultural’, a qual tem como objetivo analisar a docência na EJA, a partir do perfil identitário de seus professores, associado aos percursos de formação da vida docente e da sua vinculação nas práticas curriculares nessa modalidade educacional. O estudo permitiu constatar que o perfil identitário do professor da EJA é de um profissional da educação comprometido com sua profissão e seu fazer pedagógico, entretanto carece de uma formação específica para atuação na EJA. Fica evidente a necessidade de uma formação continuada que forneça conhecimentos para lidar com a ampla diversidade cultural dos sujeitos da EJA, nas práticas curriculares.


Palavras-chave


Educação de Jovens e Adultos; Professores da EJA; Escrita Autobiográfica e Memorial de Formação.

Texto completo:

PDF

Referências


Arroyo, M. (2006). Formar educadores e educadoras de jovens e adultos. In: SOARES, Leôncio José Gomes (Org.). Formação de educadores jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica.

Brasil. (2016). Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: proposta preliminar. Segunda versão revista. Brasília: MEC. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_publicacao.pdf. Acesso em: 23 mar. 2017.

Brasil. (2000). Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Brasília: COEJA/ SEF.

Brasil. (1996). Nacional de Educação/MEC. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nº. 9394/96, Presidência da República, dezembro de 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 05 jan. 2016.

Brasil. (1971). Conselho Nacional de Educação/MEC. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nº. 5692/71, Presidência da República, agosto de 1971. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L5692.htm Acesso em: 05 jan. 2016

Brasil. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: texto constitucional de 5 de outubro de 1988, contendo as alterações adotadas pelas Emendas Constitucionais nº1/92 a 15/96 e pelas Emendas Constitucionais de Revisão nº 1 a 6/94, 2 ed. Brasília: Imprensa nacional, Divisão de Editoração.

Carrilho, M. F. P. et al. (1997). Diretrizes para a elaboração do Memorial de Formação. Metodologia do trabalho científico. Natal: IFP/URRN.

Catani, D. B. (2005). As leituras da própria vida e a escrita de experiências de forma. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 14, nº. 24, p. 31- 40, jul./dez.

Cavaco. C. (2015). Formação de educadores numa perspectiva de construção do saber: contributos da abordagem biográfica. Cadernos Cedes, Campinas, v. 35, n. 95, p. 75-89, jan.-abr.

Dominicé, P. (1988). A biografia educativa: instrumento de investigação para a educação de adultos. In: Nóvoa, Antônio; Finger, Mathias (Orgs.). O método (auto) biográfico e a formação. Lisboa: MS/DRHS/CFAP.

Freire, Paulo. (Org.) (2001). A pedagogia da libertação em Paulo Freire. São Paulo: Editora UNESP.

Freire, P. (1996). Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra.

Freire, P. (1989). A importância do ato de ler: em três artigos que se complementam. São Paulo: Autores Associados: Cortez.

Galvão, A. M. de O.; Soares, L. J. G. (2004). História da alfabetização de adultos no Brasil. In: Albuquerque, E. B. C. de; Leal, T. F. Alfabetização de jovens e adultos: em uma perspectiva de letramento. Belo Horizonte: Autêntica, p. 27-58.

Haddad, S. (2009). A participação da sociedade civil brasileira na educação de jovens e adultos e na CONFINTEA VI. Revista Brasileira de Educação v. 14 n. 41 maio/ago.

Mota, K. M. S. (2013). A Escrita de Si nos Tempos Formativos da Pós-Graduação: Leituras entrecruzadas de memoriais acadêmicos. In: Passegi, M. da C.; Vicentini, P. P. e Souza, E. C. (Orgs.). Pesquisa (Auto) Biográfica: narrativas de si e formação. 1ª ed. Curitiba, PR: CRV.

Mota, K.; Souza, J. F. de. (2013). Formação Docente na Educação de Jovens e Adultos (EJA): entraves e desafios do sistema educacional no nordeste do Brasil. II Encontro Luso-Brasileiro sobre Trabalho Docente e Formação. Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação. Universidade do Porto. Portugal.

Nóvoa, A. Prefácio. In: Josso, M, C. (2002). Experiências de vida e formação. Lisboa: Educa. p. 7-12.

Passeggi, M. da C. (2010). Memorial de formação. In: Oliveira, D.A.; Duarte, A.M.C. Vieira, L.M.F. DICIONÁRIO: trabalho, profissão e condição docente. Belo Horizonte: UFMG/Faculdade de Educação.

Passeggi, M. da C. (2006). A formação do formador na abordagem autobiográfica. A experiência dos memoriais de formação. In: Souza, E. C.; Abrahão, Maria H. M. B. (Org.). Tempos, narrativas e ficções: a invenção de si. Porto Alegre: EDIPURS; Salvador: EDUNEB.

Ribeiro, V. M. (1999). A formação de educadores e a constituição da educação de jovens e adultos como campo pedagógico. Educação & Sociedade, ano XX, n. 68, p. 184-201.

Silva, A. V. da. (2014). Memorial de formação: dispositivo de pesquisa-formação no/do estágio supervisionado. Tese (Doutorado) – Universidade do Estado da Bahia UNEB – Doutorado em Educação e Contemporaneidade.

Soares, L. J. G.; Pedroso, A. P. F. (2016). Formação de Educadores na Educação de Jovens e Adultos (EJA): alinhavando contextos e tecendo possibilidades. Educação em Revista. Belo Horizonte. v. 32. nº. 04.

Soares, L. J. G.; Pedroso, A. P. F. (2013). Dialogicidade e a Formação de Educadores na EJA: as contribuições de Paulo Freire. Educação temática Digital – ETD. Campinas, São Paulo. v. 15, nº. 2.

Souza, E. C. de. (2006). A arte de contar e trocar experiências: reflexões teórico-metodológicas sobre história de vida em formação. Revista Educação em Questão. Natal, v. 25, n. 11, p. 22-39, jan./abr.

Souza, E. C. de. (2007). (Auto)biografia, histórias de vida e práticas de formação. In: Nascimento, AD., and Hetkowski, T.M., orgs. Memória e formação de professores [online]. Salvador: EDUFBA, 310 p. ISBN 978-85-232-0484-6. Available from SciELO Books.

Kenski, V. M. (2000). Memória e formação de professores: interfaces com as novas tecnologias de comunicação. In: Catani, Denice Bárbara et. al. (orgs.). Docência, memória e gênero: estudos sobre formação. São Paulo: Escrituras.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Brasileira de Educação de Jovens e Adultos

ISSN 2317-6571

ESTA REVISTA ESTÁ INDEXADA EM:

DIADORIM, PORTAL SEER, Periódicos CAPESDOAJ, JournalTOCs, CREFAL - Recursos Especializados en EPJA, Latindex

 

QUALIS B1 em Ensino

QUALIS B2 em Educação

QUALIS B3 em Planejamento Urbano e Regional/Demografia

QUALIS B3 em Interdisciplinar

QUALIS B5 em Comunicação e Informação

A Revista Brasileira de Educação de Jovens e Adultos é uma publicação do Grupo de Pesquisa Cultura, Currículo e Políticas na Educação de Jovens e Adultos - CULT-EJA.

VISITANTES:  contador de acessos