https://revistas.uneb.br/index.php/saudecoletiva/issue/feed Práticas e Cuidado: Revista de Saúde Coletiva 2023-01-30T10:50:56-03:00 Prof. Dr. Marcio Souza e Prof. Dr. Ricardo Mussi mcsouza@uneb.br Open Journal Systems <p>A Práticas e Cuidado: Revista de Saúde Coletiva (PC-RESC) (eISSN: 2675-7591) , instituída no ano de 2020, é um periódico vinculado à Área de Saúde Coletivaà, ao Programa de Residência de Multiprofissional de Saúde e ao Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (MEPISCO) da Universidade do Estado da Bahia (UNEB). A PC-RESC é editada em sistema de fluxo contínuo para submissão e publicação. O escopo da PC-RESC inclui produções com enfoque multidisciplinar e interprofissional no campo da Saúde Coletiva. A PC-RESC publica dossiês temáticos, relatos de experiências e/ou de casos, artigos originais, revisões de literatura, resenhas e carta ao editor, aceitos após processo de revisão, nas línguas <strong>portuguesa, espanhola, francesa&nbsp;</strong>e&nbsp;<strong>inglesa</strong>&nbsp;conforme normatização apresentada nas diretrizes para autoras(es).</p> https://revistas.uneb.br/index.php/saudecoletiva/article/view/14494 DO APRISIONAMENTO DO CORPO AO APRISIONAMENTO DA MENTE: UM OLHAR NEGRO PARA O SOFRIMENTO PSÍQUICO DA MULHER NEGRA NO CARCERE 2023-01-06T11:34:33-03:00 Lúcia Mariaci Ribeiro Martins psilumart@gmail.com <p><strong>Introdução</strong>: O universo carcerário consiste num campo pouco explorado e invisibilizado pela sociedade, pouco se conhece sobre sua&nbsp;&nbsp; multidimensionalidade e complexidade, sobretudo, a condição das mulheres negras no cárcere e os atravessamentos que as cometem. <strong>Objetivo:</strong> Evidenciar a saúde mental das mulheres negras aprisionadas, e as implicações do racismo para a constituição da subjetividade, relativizar com a racialização das leis, das políticas públicas de saúde e a política de segurança pública. <strong>Método:</strong> A metodologia foi realizada e fundamentada pelas lentes conceituais fornecidas pela abordagem interseccional como ferramenta de análise. Utilizei oficinas de escritas, com leituras prévias dos livros Carolina Maria de Jesus e o uso de dados de documentos do projeto Cartas do Cárcere.&nbsp; <strong>Resultados:</strong> As narrativas expressas nas oficinas evidenciaram apelos, confissões, angústias, desesperanças, e que o cárcere desempenha, em nosso tempo, o sequestro da palavra, assim as cartas configuraram resistência a esse processo de violento silenciamento. Considerando que as taxas de transtornos mentais são mais elevadas em pessoas privadas de liberdade associado ao confinamento e a determinantes sociais como o preconceito racial, a desigualdade social e de gênero. <strong>Conclusão:</strong> Este estudo revelou a complexidade de trabalhar com um quadro que reflete um contexto estrutural de discriminação, subalternização e precarização da mulher encarcerada, com isso a urgência na inversão da lógica do pensamento hegemônico. Todavia destaco a relevância das oficinas que mitigaram alivio aos sofrimentos psíquicos que passam cotidianamente as aprisionadas, contribuindo para que acionassem mecanismos inconscientes para elaborar e ressignificar suas existências dentro e fora do cárcere.</p> 2023-01-06T00:05:55-03:00 Copyright (c) 2023 Lúcia Mariaci Ribeiro Martins https://revistas.uneb.br/index.php/saudecoletiva/article/view/15205 TUBERCULOSE PULMONAR NO DISTRITO FEDERAL: OCORRÊNCIA DE ÓBITOS E O ACESSO AOS SERVIÇOS DE SAÚDE 2023-01-30T10:50:56-03:00 Antonio Carlos de Jesus carvalho.acj@gmail.com Delmason Soares Barbosa de Carvalho delmason.carvalho@gmail.com Elaine Ramos de Moraes Rego r.elaine86@yahoo.com Melina Mafra Toledo melinamafra18@gmail.com Ana Cláudia Godoy Morais Figueiredo aninha_m_godoy@hotmail.com <p><strong>Objetivo:</strong> Analisar a distribuição dos óbitos por tuberculose pulmonar no Distrito Federal conforme as distâncias das residências dos indivíduos em relação às Unidades Básicas de Saúde nos anos de 2010 a 2020. <strong>Método: </strong>Estudo ecológico do tipo base territorial tendo como base dados secundários do Sistema de Informações sobre Mortalidade - SIM. Foram incluídos todos os óbitos por Tuberculose pulmonar dos indivíduos residentes no Distrito Federal que ocorreram entre 2010 e 2020 e realizado o georreferenciamento dos casos de óbitos pela doença, bem como das Unidades Básicas de Saúde do Distrito Federal. A mensuração das distâncias foi realizada no app MyMaps. <strong>Resultados:</strong> O estudo apontou que 49,5% dos óbitos do DF ocorreram nas regiões de saúde Oeste e Sudoeste. A média de distância encontrada da moradia da pessoa que veio a óbito em relação a UBS mais próxima foi de 1373,81 metros. A região que possuiu a maior média de distância em metros foi a região de saúde Central, além disso, 55,5% da população do estudo necessitava se deslocar 1000 metros ou mais para ter acesso a serviços de APS. <strong>Conclusão:</strong> Este estudo mostrou que as pessoas precisaram se deslocar mais de 1000 metros para acessar o serviço de Atenção Primária à Saúde. Os achados neste estudo são úteis para que os gestores do sistema de saúde e os agentes do poder público tomem decisões para melhoria de acesso da população aos serviços de Atenção Primária à Saúde.</p> 2023-01-30T10:50:56-03:00 Copyright (c) 2023 Antonio Carlos de Jesus, Delmason Soares Barbosa de Carvalho, Elaine Ramos de Moraes Rego, Melina Mafra Toledo, Ana Cláudia Godoy Morais Figueiredo https://revistas.uneb.br/index.php/saudecoletiva/article/view/14210 O DIÁLOGO ENTRE AS POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE NO CUIDADO À POPULAÇÃO IDOSA NEGRA: PERCEPÇÃO DE PSICÓLOGAS QUE TRABALHAM NA ATENÇÃO BÁSICA 2023-01-01T07:51:52-03:00 Victoria Andrade dos Santos vickandrade21@gmail.com Camila Barreto Bonfim cbbonfim@uneb.br Adrielle de Matos Borges Teixeira asmatos@uneb.br Kátia Jane Chaves Bernardo kchaves@uneb.br Daniela Maria Barreto Martins dabamartins@yahoo.com.br <p><strong>Objetivo:</strong> Este estudo tem por objetivo compreender como as psicólogas, atuantes na Atenção Básica, percebem a implementação da Política Nacional de Saúde Integral da População Negra (PNSIPN) e a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa (PNSPI) nas unidades de saúde. <strong>Método: </strong>Foi realizada uma pesquisa qualitativa de caráter descritivo e exploratório, seguindo a perspectiva da Psicologia Sócio-histórica. Foi realizado um levantamento teórico-metodológico sobre os temas relevantes, produção dos instrumentos de coleta dos dados, aplicação de um questionário online e realização das entrevistas semiestruturadas. Participaram do estudo 07 psicólogas que atendem o público idoso e trabalham na rede de Atenção Básica da cidade de Salvador/BA. Os dados foram analisados pelo método hermenêutico-dialético. <strong>Resultados:</strong> Observou-se que há uma ausência da interlocução das Políticas Públicas para população negra e população idosa de modo transversal, assim como, a conotação do sujeito universal ao retratar a pessoa idosa, sem evidenciar a intersecção entre raça e geração. Porém, observa-se uma atuação das psicólogas, na Atenção Básica, relacionada aos atendimentos grupais e multiprofissionais no processo de cuidado à saúde da pessoa idosa.&nbsp;<strong>Conclusão:</strong> Verificou-se a importância da formação em políticas públicas para o fortalecimento do trabalho da psicologia na atenção básica e no cuidado à população idosa negra.</p> 2022-12-31T16:40:26-03:00 Copyright (c) 2022 Victoria Andrade dos Santos, Camila Barreto Bonfim, Adrielle de Matos Borges Teixeira, Kátia Jane Chaves Bernardo, Daniela Maria Barreto Martins