ESTUDO DA CONTRIBUIÇÃO DE INSTITUIÇÃO DE FOMENTO E DO MICROCRÉDITO NO DESENVOLVIMENTO EMPREENDEDOR DE PALMAS/TO

Palavras-chave: Empreendedorismo; Microcrédito; Desenvolvimento; Palmas/TO.

Resumo

O microcrédito pode despontar como instrumento alternativo para aqueles que desejam empreender. Assim, o objetivo geral desta pesquisa consistiu em analisar a contribuição do microcrédito para o crescimento e o desenvolvimento da atividade empreendedora de Palmas – TO. A metodologia adotada fundamentou-se numa abordagem qualitativa e dividiu-se em duas etapas. A primeira correspondeu à realização de uma entrevista semiestruturada a três instituições de fomento, na ocasião realizou-se um procedimento documental examinando-se dados referentes ao perfil dos empreendedores beneficiados, de forma a evidenciar qual a predominância dos tomadores de crédito. Analisou-se, também, a concepção desses bancos no que diz respeito à concessão do microcrédito oferecida para o desenvolvimento empreendedor em Palmas. A segunda etapa compreendeu em um estudo de caso mediante uma entrevista semiestruturada a uma empreendedora usuária do crédito. A análise dos resultados demonstrou que os empreendedores mais atendidos tem sido aqueles que atuam na formalidade e que o microcrédito tem auxiliado tanto no início do negócio quanto na ampliação daquele já existente, tem sido utilizado tanto como capital de giro, por meio da compra de matéria-prima para produção e também para trazer algum investimento no empreendimento, colaborando, dessa forma, para o crescimento do negócio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGÊNCIA DE FOMENTO DO ESTADO DO TOCANTINS. Microcrédito. 2018. Disponível em: <http://www.fomento.to.gov.br/microcredito/pessoa-juridica/>. Acesso em: 23 de mar 2018.

BANCO DO EMPREENDEDOR. Microcrédito. 2017. Disponível em: <http://bem.to.gov.br/programas/microcredito/>. Acesso em: 24 de mar 2018.

BANCO DA AMAZÔNIA. Microcrédito. 2018. Disponível em: . Acesso em: 13 de abr 2018.

BARROS, R. P. de; HENRIQUES, R. M. Estudo: A Estabilidade Inaceitável: Desigualdade e Pobreza no Brasil. IPEA. 2001. Disponível em < http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/2003/1/TD_0800.pdf>. Acesso em 18 de fev. 2018

BRAGA, Márcio Bobik; TONETO Jr. Rudinei. Microcrédito: aspectos teóricos e experiências. Rev. Análise Econômica. Porto Alegre: UFRGS, mar./set., 2000.

BANCO DO POVO. Dono do meu negócio. 2017. Disponível em: . Acesso em: 9 de mar 2018.

COSTA, Fernando Nogueira da. Microcrédito no Brasil.IE/UNICAMP.2010

CAIXA. Microcrédito Produtivo Orientado Caixa. 2018. Disponível em: . Acesso em: 13 de abr de 2018.

CAMPOS, T. M.; LIMA, E. O. Um Estudo sobre os Fatores que Influenciam no Desenvolvimento de Competências Empreendedoras. Revista Pretexto, v. 20, n. 1, p. 38-56, 2019.

FLICK, Uwe. Desenho da pesquisa qualitativa. 21. ed. Porto Alegre: Artmed editora S.A, 2008. 164 p.

GONZALEZ, Lauro; RIGHETTI, César; DI SÉRIO, Luiz Carlos. O impacto do microcrédito na receita: o caso do Banco Real no Brasil. Rev. econ. desprezo., Rio de Janeiro, v. 18, n.3, p.453-476, dezembro de 2014. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482014000300453&lng=en&nrm=iso. Acesso em 15 de junho de 2020. https://doi.org/10.1590/141598481837

GOULART. M. J. B; NETO. A. J. P. A. Densa vida social e política dos agentes da estrutura organizacional do banco do povo. Revista Espaço de Diálago e Desconexão, Araraquara, V. 4 N. 2. p. 1-26. Jan/jul.2012

GRECO, Simara Maria Silveira. et al. Empreendedorismo no Brasil – 2016. 22. ed. Curitiba, 2016

JUNTA COMERCIAL DO TOCANTINS. Estatística Estadual. 2016. Disponível em: <https://jucetins.to.gov.br/outros-servicos/estatistica-estadual/>. Acesso em: 18 de abr de 2018

LIMA, Shanna Nogueira. Microcrédito como política de geração de emprego e renda. BNDS.2009. Disponível em <http://www.bndes.gov.br/bibliotecadigital>. Acesso em 25 de fev. 2018

MACHADO. H. P. V; NASSIF. V. M. J. Réplica – Empreendedores: Reflexões sobre Concepções Históricas e Contemporâneas. Revista ANPAD, Rio de Janeiro, V. 18, N. 6. 892-899, nov./dez.2014

McCLELLAND, D. Characteristics of successful entrepreneurs. The Journal of Creative Behavior, v. 21, n. 3, p 219-233, 1987.

MAN, T.; LAU, T.; CHAN, K. The competitiveness of small and medium enterprises: A conceptualization with focus on entrepreneurial competence. Journal of Business Venturing, v. 17, n. 2, p. 123-142, 2002.

MOURÃO, G. N. O modelo original de microcrédito e sua versão brasileira: o que deu errado?. Revista FAE, v.22, n.1, p.35-50, jan./jun.2019.

NERI, M.; MEDRADO, A. L. Experimentando microcrédito: uma análise de impacto do CrediAmigo no acesso a crédito. Revista Econômica do Nordeste, v. 41, n. 1, p. 133-154, 2010.

PIZZANI, Luciana. et al. A arte da pesquisa bibliográfica na busca do conhecimento. Revista Dig. Bibl. Ci. Inf, Campinas, v.10, n.1, p. 53-66, jul./dez.2012

SAMPAIO, P. S. O Microcrédito Produtivo Orientado no Brasil: um Panorama da Evolução do Quadro Regulatório, dos Atores Institucionais e de seu Efeito na Superação da Pobreza. Revista de Direito Setorial e Regulatório, Brasília, v. 2, n. 2, p. 47-104, outubro 2016.

SAMPIERI, Roberto Hernández; COLLADO, Carlos Fernández; LUCIO, Maria del Pilar Baptista. Metodologia de pesquisa. 5. Ed. Porto Alegre: Penso Editora LTDA, 2013. 624 p .

SEBRAE. Microcrédito: quando pouco dinheiro pode gerar milhões de Benefícios. Revista Sebrae, jun. 2005. Disponível em: . Acesso em: 6 fev. 2018.

SEBRAE. Principais números sobre a participação dos pequenos negócios nas economias brasileira e paulista. https://m.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ufs/sp/sebraeaz/pequenos-negocios-em-numeros,12e8794363447510VgnVCM1000004c00210aRCRD. Acessado em 15 de junho de 2020.

VENTURA, Maria Magda. O Estudo de Caso como Modalidade de Pesquisa. Revista SOCERJ. Rio de Janeiro, v. 20, n.5, p.383-386, set./out.2007.

Publicado
2020-11-05
Métricas
  • Visualizações do Artigo 122
  • PDF downloads: 175
Seção
ARTIGOS