DETERMINANTES DA ESTRUTURA DE CAPITAL DOS BANCOS BRASILEIROS

Palavras-chave: Estrutura de Capital; Alavancagem Bancária; Bancos Brasileiros.

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo analisar os determinantes da estrutura de capital dos bancos brasileiros, visto que estudos recentes sugerem que requisitos regulatórios não têm efeito primordial na alavancagem do setor bancário. A metodologia se caracteriza por uma abordagem quantitativa, com amostra formada por 80 instituições no período de 2010 a 2017, mediante informações contábeis disponibilizadas no site do Banco Central do Brasil -BACEN. As técnicas utilizadas envolveram estatística descritiva, análise de correlação e regressão linear múltipla com dados em painel. Os resultados indicaram que os principais determinantes da estrutura de capital de empresas não financeiras se apresentam estatisticamente significativos para explicar a alavancagem das instituições bancárias brasileira, sendo risco, tamanho e tangibilidade significativos a 1% e rentabilidade a 5%. Nas variáveis macroeconômicas testadas, apenas o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) se mostrou significativo a 5%. Além disso, os resultados sinalizaram que os bancos brasileiros priorizam suas fontes de financiamento em consonância com a Teoria Pecking Order.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBANEZ, T., VALLE, M. R.; e CORRAR, L. J. Fatores institucionais e assimetria informacional: influência na estrutura de capital de empresas brasileiras. Revista Administração Mackenzie, São Paulo, v. 13, n. 2, p. 76-105, mar./abr. 2012.

BANCO CENTRAL DO BRASIL (BACEN). Estabilidade financeira. Disponível em: https://www.bcb.gov.br/estatisticas/indecoreestruturacao. Acesso em 14 dez. 2018.

______. Sistema de informações das Instituições Financeiras. Disponível em:https://www3.bcb.gov.br/ifdata/. Acesso em 07 jan. 2018.

______. Resolução nº 4.553, de 30 de Janeiro de 2017. Estabelece a segmentação do conjunto das instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil para fins de aplicação proporcional da regulação prudencial. Disponível em: https://www.bcb.gov.br/pre/normativos/busca/downloadNormativo.asp?arquivo=/Lists/Normativos/Attachments/50335/Res_4553_v1_O.pdf. Acesso em: 18 de jan. 2018.

BASTO, D. D.; NAKAMURA, W. T.; BASSO, L. F. C. Determinantes da Estrutura de Capital das Companhias Abertas na América Latina: Um Estudo Empírico Considerando Fatores Macroeconômicos e Institucionais. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 10, n. 6, p. 47-77, nov./dez. 2009.

BELÉM, V.C., GARTNER, I. R. Empirical analysis of Brazilian banks capital buffers during the period 2001-2011. Revista Contabilidade e Finanças, São Paulo, v.27, n. 70, p.113-124,jan./fev./mar./abr. 2016.

BERNARDO, C. J.; ALBANEZ, T.; SECURATO, J. R. Fatores Macroeconômicos e Institucionais, Composição do Endividamento e Estrutura de Capital de Empresas Latino-Americanas. Brazilian Business Review, São Paulo, v. 15, n. 2, p. 152-174, 2018.

BRASIL. Lei nº 11.638, de 28 de dezembro de 2007. Altera e revoga dispositivos da Lei no 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e da Lei no 6.385, de 7 de dezembro de 1976, e estende às sociedades de grande porte disposições relativas à elaboração e divulgação de demonstrações financeiras. Brasília, DF, dez 2007.

BRITO, G. A. S.; CORRAR, L. J.; BATISTELLA, F. D. Fatores determinantes da estrutura de capital das maiores empresas que atuam no Brasil. Revista Contabilidade e Finanças, São Paulo, v. 18, n. 43, abr. 2007.

CORDEIRO FILHO, M. PAMPLONA, J. B., LUCAS, E. C., KAWAI, R.M. Determinantes da Estrutura de Capital no Brasil: Evidências Empíricas a partir de Dados em Painel no período entre 2010 e 2016. Revista de Administração Sociedade e Inovação,Volta Redonda, v. 4, n. 2, p. 183-203, jul./dez. 2018.

CORREA, C. A.; BASSO, L. F. C.; NAKAMURA, W. T. A estrutura de capital das maiores empresas brasileiras: análise empírica das teorias de pecking order e trade-off, usando panel data. Revista Administração Mackenzie, São Paulo, v. 14, n. 4, p. 103-133, jul./ago. 2013.

DURAND, D. Costs of debt and equity funds for business: trends and problems of measurement. Paper presented at the Conference on research in business finance. Cambridge, NBER,p. 215-262. 1952.

FAMA, E. F.; FRENCH, K. R. Testing trade-off and pecking order predictions about dividends and debt. Review of Financial Studies, v. 15, n. 1, p. 1-33. 2002.

FLICK, U. Introdução à metodologia de pesquisa. Tradução: Magda Lopes. Porto Alegre: Penso, 2013.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa - 4. ed. - São Paulo: Atlas, 2002.

GROPP, R., e F. HEIDER. The determinants of bank capital structure. Review of Finance, 14, p. 587–622, mar.2010.

GUJARATI, D. N; PORTER, D.C. Econometria básica. 5. ed. Tradução: Pilar Carril Villarreal. Porto Alegre: AMGH, 2011.

HOQUE H., POUR. E.K. Bank-level and country-level determinants of the bank's capital structure and funding sources. International Journal of Finance and Economic, 23, p. 504-532, jun. 2018.

JOUIDA, S., HALLARA S. Capital structure and regulatory capital of French banks Sameh. Procedia Economics and Finance, 26, p. 892 – 902. 2015.

JUCÁ, M. N. Determinantes da estrutura de capital dos bancos brasileiros e norte-americano. 2011. 164f. (Doutorado em Administração) - Departamento de Administração, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

MACHADO, L. K. C.; PRADO, J. W.; VIEIRA, K. C.; ANTONIALLI, L. M.; SANTOS, A. C. A Relevância da Estrutura de Capital no Desempenho das Firmas: uma Análise Multivariada das Empresas Brasileiras de Capital Aberto. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, Brasília, v. 9, n. 4, p. 397-414, out./dez. 2015.

MARTINEZ, A. L.; LOOSE, A. S. Provisão para créditos de liquidação duvidosa e controles de limites de solvência em instituições bancárias no Brasil. Revista Contemporânea de Contabilidade, Florianópolis, v. 16, n. 41, p. 23-43, out./dez. 2019.

MARTUCHELI, C. T.; FARIA, C. A. L.; SOUZA, A. A. Determinantes da Estrutura de Capital das Empresas Brasileiras: Uma Análise de Dados em Painel. Revista Evidenciação Contábil & Finanças, João Pessoa, v. 8, n. 2, p. 26-42, mai/ago, 2020.

MEDEIROS, R.; FERREIRA, A. C.; MENEZES, J. P. C. B.; SILVA, S. A. L.; SANT'ANA, N. L. D. S. Relação entre Estrutura de Capital das Empresas Brasileiras Negociadas na Nyse e a Variação da Selic. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, Salvador, v. 7, n. 3, p. 230- 246, set./dez. 2017.

MENDES, P. C. M.; OLIVEIRA, E. B. Relação entre Endividamento Geral, Tributação e o Índice de Basileia nas Maiores Instituições Financeiras do Brasil. Contabilidade, Gestão e Governança, Brasília, v. 19, n. 1, p. 64-82, jan./abr. 2016.

MENDONÇA, F. F. P.; MARTIN, H. C.; TERRA, P. R. S. Estrutura de Capital e Mecanismos de Governança Externos à Firma: Uma Análise Multipaís. Revista de Administração Contemporânea, Maringá, v. 23, n. 6, p. 765-785, nov./dez. 2019.

MODIGLIANI, F.; MILLER, M. H. Corporate income taxes and cost of capital: a correction. American Economic Review, Pittsburgh, v. 53, n. 3, p. 433-443, jun. 1963.

______. The cost of capital, corporation finance and theory of investiment. American Economic Review, Pittsburgh, v. 48, n. 3, p. 261-297, jun. 1958.

MYERS, S. C.; MAJLUF, N.S. Corporate financing and investiment decisions when firms have information that investors do not have. Journal of Financial Economics, Amsterdam, v.13, n.2, p. 187-221,Jul.1984.

MYERS, S.C. The capital structure puzzle. Journal of Finance, Chicago, v.39, n.3, p. 574-592,jul.1984.

NAKAMURA, W. T.; MARTIN, D. M. L.; FORTE; D.; CARVALHO FILHO, A. F.; COSTA, A. C. F.; AMARAL, A. C. Determinantes de Estrutura de Capital no Mercado Brasileiro – Análise de Regressão com Painel de Dados no Período 1999-2003, Revista Contabilidade e Finanças, São Paulo, n. 44, p. 72 – 85, maio/ago. 2007.

OCTAVIA, M., BROWN, R. Determinants of bank capital structure in developing countries: regulatory capital requirement versus the standard determinants of capital structure. Department of Finance the University of Melbourne,Australia, p. 1-35, 2008.

PAMPLONA, E.; PADILHA, D. F.; SILVA, T. P. Influência da folga financeira na estrutura de capital em empresas de alimentos brasileiras, chilenas e mexicanas, Revista Contemporânea de Contabilidade, Florianópolis, v. 15, n. 35, p. 88-107, abr./jun. 2018.

PEROBELLI, F. F. C.; FAMÁ, R. Fatores determinantes da estrutura de capital para empresas latino-americanas. Revista de Administração Contemporânea,Maringá, v. 7, n. 1, p. 9-35, jan./mar. 2003.

TEIXEIRA, J. C. A.; SILVA, F. J. F.; FERNANDES, A. V.; ALVES, A. C. G. Banks’ capital, regulation and the financial crisis. North American Journal of Economics and Finance, v. 28, p. 33–58, 2014.

WOOLDRIDGE, Jeffrey M. Introductory Econometrics: A Mod Ern Appro Ach. 5 ed. Cengage Learnin, 2012.

Publicado
2020-11-05
Métricas
  • Visualizações do Artigo 294
  • PDF downloads: 199
Seção
ARTIGOS