QUILOMBOLAS DA CHAPADA DIAMANTINA E O ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER.

  • Luciene Assunção da Silva Universidade do Estado da Bahia Campus XXIII - Seabra.

Resumo

A problemática da violência doméstica contra a mulher é uma realidade latente na sociedade contemporânea que incidiu em discussões e implementação de políticas públicas que visam combater esse tipo de crime, como a Lei Maria da Penha (11.340/06) e a Lei do Feminicídio (13.104/15.). No Mapa da Violência de 2015, observamos que o Territória de Identidade da Chapada Diamantina/Ba, não constam dados referentes a essa questão. Buscando contribuir no combate desse tipo de crime, este artigo visa analisar resultados parciais da pesquisa de campo que vem sendo realizada em comunidades quilombolas do município de Seabra/Ba pertencente a Chapada Diamantina. A pesquisa foi realizada a partir da metodologia quantitativa com o levantamento dos dados junto às comunidades quilombolas pesquisadas. No que verse ao movimento feminista e movimento negro feminista usamos Silva, Carneiro. O conceito de quilombola foi extraído de Munanga entre outros. A pesquisa faz parte do projeto de pesquisa do Programa Afirmativa de Pesquisa e Extensão da Pró-reitoria de Ações Afirmativas – PROAF do Universidade do Estado da Bahia, edital 040/2018.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciene Assunção da Silva, Universidade do Estado da Bahia Campus XXIII - Seabra.
Bacharel em Antropologia pela Universidade Federal da Bahia. Especialista em Metodologia e Pesquisa no Ensino Superior pela Universidade Estadual da Bahia, Mestra pelo Programa de Pós Graduação em Estudos Interdisciplinares sobre Mulheres, gênero e Feminismo  - PPGNEIM, da Universidade Federal da Bahia. Área de pesquisa: Gênero, sexualidade, feminismo.
Publicado
2019-11-05
Métricas
  • Visualizações do Artigo 97
  • PDF downloads: 149