O silêncio como estratégia para o diálogo em “Silence” da obra Vastafala, de Antonio Barreto

Guaraciaba Micheletti, Janusa Guimarães Gomez

Resumo


Este artigo versará sobre os resultados obtidos por meio da análise do poema “Silence”, parte integrante do livro Vastafala, de Antonio Barreto. Investigamos, nesse texto literário, os recursos utilizados pelo sujeito poético cujo objetivo é promover o diálogo evocando a necessidade intrínseca do ser humano que é expressar-se e comunicar-se. Numa aparente ação paradoxal, ele coloca condições para emergência do diálogo. O enunciador de “Silence” espera estabelecer um contato com seu interlocutor por meio de “conversaremos”, explorando várias possibilidades do léxico. A fundamentação teórica que norteou esta análise e interpretação foram os estudos de Martins (2012) que tratam da Estilística e apontam quais estratos devem ser verificados nesse tipo de estudo: o som, a palavra, a sintaxe, os desdobramentos dessas três camadas e aspectos enunciativos; as referências bibliográficas se expandem para Orlandi (2015), que aborda as questões da significação do silêncio, Garcia (2011) cujo propósito seja a comunicação em prosa atentando para “moderna” sobre a estrutura sintática e a feição estilística da frase e Bechara (2009), cujos estudos focalizam a gramática normativa.


Palavras-chave


Poema; Vastafala; Estilística; Silêncio; Diálogo

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2176-5782

Classificação Qualis CAPES: Linguística e Literatura - B3

Indexadores:

        

 

 Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.