Pele negra, máscara branca: reflexões sobre Anjo Negro, de Nelson Rodrigues

Maykom de Faria e Silva

Resumo


O presente artigo objetiva abordar, pelo viés literário, algumas questões sociais e psicológicas enfrentadas pelo negro, advindos dos estereótipos criados e difundidos durante o período colonial. Para tanto, será tomado como objeto de análise o personagem Ismael, da peça teatral Anjo negro [1946], escrita por Nelson Rodrigues. Dito personagem será analisado a luz  das considerações de Souza (1983) e Fanon (2008). Antes, porém, abordaremos alguns fatores, relativos ao período colonial, responsáveis por conduzir o negro a rejeitar a própria cor e, consequentemente, a tentar, em vão, tornar-se um branco, através da assimilação dos valores do colonizador.

 


Palavras-chave


Período colonial; Estereótipo; Anjo negro

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

TABULEIRO DE LETRAS | Revista do Programa de Pós-Graduação em Estudo de Linguagens da Universidade do Estado da Bahia (PPGEL - UNEB) | ISSN 2176-5782