Minotauros, labirintos e Teseus no teatro burlesco de Antônio José da Silva

Kênia Maria de Almeida

Resumo


O dramaturgo luso-brasileiro Antônio José da Silva escreveu ao todo oito comédias burlescas, dentre elas, algumas que dialogam com a mitologia grega, como, por exemplo, Os encantos de Medeia (1735); Esopaida, ou a vida de Esopo (1734); Precipício de Faetonte (1738); e O Labirinto de Creta (1736). O objetivo deste artigo consiste exatamente na análise dessa última peça teatral, em que o autor retoma de forma paródica a imagem do labirinto e do minotauro como metáforas monstruosas tanto da Inquisição como do Santo ofício.

Palavras-chave


Antônio José da Silva; Labirinto; Minotauro; Teseu; Teatro.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

TABULEIRO DE LETRAS | Revista do Programa de Pós-Graduação em Estudo de Linguagens da Universidade do Estado da Bahia (PPGEL - UNEB) | ISSN 2176-5782