ASPIRAÇÃO ENDOTRAQUEAL EM PACIENTES COM VENTILAÇÃO MECÂNICA INVASIVA: CUIDADOS DE ENFERMAGEM PARA PREVENÇÃO DE PNEUMONIA

Giselle B. F. Mendes, Camila O. B. Nascimento, Luana R. Santos, Paulo R. G. Lima, Jimi H. M. Souza

Resumo


A ventilação mecânica (VM) ou suporte ventilatório consiste em um método de suporte para o tratamento de pacientes com insuficiência respiratória aguda ou crônica agudizada. A aspiração endotraqueal objetiva manter as vias aéreas permeáveis, prevenir infecções, promover trocas gasosas, incrementar a oxigenação arterial, melhorando a função pulmonar. Porém, expõe os pacientes a sérios riscos, especialmente aqueles sob ventilação mecânica e sua utilização deve ser cuidadosa e criteriosa para evitar complicações sérias como a hipoxemia, atelectasia e pneumonia. A pneumonia associada à ventilação mecânica é uma forma de infecção hospitalar, que acomete a maioria dos pacientes em uso de ventilação mecânica invasiva. O estudo tem como objetivo geral discutir os cuidados de enfermagem para prevenção de pneumonia em paciente em uso de ventilação mecânica. E como objetivos específicos: identificar os cuidados de enfermagem durante a aspiração endotraqueal em pacientes com ventilação mecânica para prevenir a pneumonia na Unidade de Terapia Intensiva, partindo de breves considerações sobre VM e aspiração endotraqueal. Verificou-se que das doze publicações selecionadas, apenas seis abordaram sobre os cuidados de enfermagem na aspiração endotraqueal em pacientes com ventilação mecânica. Esses estudos abordaram a importância da aspiração endotraqueal conforme técnica asséptica, a importância da aspiração endotraqueal e higiene oral como prevenção de pneumonia.  Sugere-se, portanto, a realização de novos estudos complementares sobre os cuidados de enfermagem aos pacientes críticos em uso de ventilação mecânica para que este profissional possa intervir na prevenção da pneumonia.


Texto completo:

PDF

Referências


BELLEZE, EDVALDA ANTUNES ET AL. PREVENÇÃO DE COMPLICAÇÕES DURANTE A ASPIRAÇÃO TRAQUEAL EM PACIENTES ENTUBADOS. REVISTA DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO/UFMA, V. 9, N. 2, P. 57-62, JUL-DEZ. 2008. DISPONÍVEL EM: . ACESSO EM: 01 NOV. 2018.

BERALDO, CAROLINA CONTADOR; ANDRADE, DENISE DE ANDRADE. HIGIENE BUCAL COM CLOREXIDINA NA PREVENÇÃO DE PNEUMONIA ASSOCIADA À VENTILAÇÃO MECÂNICA. JORNAL BRASILEIRO DE PNEUMOLOGIA, V. 34, N. 9, P. 707-714, 2008. DISPONÍVEL EM: . ACESSO EM: 01 NOV. 2018.

CARVALHO, CARLOS ROBERTO RIBEIRO DE ET AL. VENTILAÇÃO MECÂNICA: PRINCÍPIOS, ANÁLISE GRÁFICA E MODALIDADES VENTILATÓRIAS. JORNAL BRASILEIRO DE PNEUMOLOGIA, V. 33, P. 54-70, 2007. DISPONÍVEL EM: . ACESSO EM: 25 OUT. 2018.

FARIAS, GLAUCEA MACIEL DE ET AL. PACIENTES SOB VENTILAÇÃO MECÂNICA: CUIDADOS PRESTADOS DURANTE A ASPIRAÇÃO ENDOTRAQUEAL. REVISTA CIENTÍFICA INTERNACIONAL INDEXADA, V. 2, N. 9, SET – OUT. 2009. DISPONÍVEL EM:

. ACESSO EM: 25 OUT. 2018.

FREIRE, IZAURA LUZIA SILVÉRIO ET AL. PREVENINDO PNEUMONIA NOSOCOMIAL: CUIDADOS DA EQUIPE DE SAÚDE AO PACIENTE EM VENTILAÇÃO MECÂNICA INVASIVA. REVISTA ELETRÔNICA DE ENFERMAGEM. V. 8, N. 3, P. 377-397, 2006. DISPONÍVEL EM: . ACESSO EM: ACESSO EM: 25 OUT. 2018.

GARCIA, JOSEANI COELHO PASCUAL ET AL. IMPACTO DA IMPLANTAÇÃO DE UM GUIA TERAPÊUTICO PARA O TRATAMENTO DE PNEUMONIA NOSOCOMIAL ADQUIRIDA NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA EM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO. JORNAL BRASILEIRO DE PNEUMOLOGIA, V. 33, N. 2, P. 175-184, 2007. ISSN 1806-3713. DISPONÍVEL EM: . ACESSO EM: 25 OUT. 2018.

GOMES, ANDREIA MACEDO; SILVA, ROBERTO CARLOS LYRA DA. BUNDLE DE PREVENÇÃO DA PNEUMONIA ASSOCIADA À VENTILAÇÃO MECÂNICA: O QUE SABEM OS ENFERMEIROS A ESSE RESPEITO? REVISTA DE PESQUISA: CUIDADO É FUNDAMENTAL, V. 2, P. 562-567, OUT/DEZ. 2010. DISPONÍVEL EM: . ACESSO EM: ACESSO EM: 25 OUT. 2018.

LOPES, FERNANDA MAIA; LOPEZ, MARCELO FARANI. IMPACTO DO SISTEMA DE ASPIRAÇÃO TRAQUEAL ABERTO E FECHADO NA INCIDÊNCIA DE PNEUMONIA ASSOCIADA À VENTILAÇÃO MECÂNICA: REVISÃO DE LITERATURA. REVISTA BRASILEIRA DE TERAPIA INTENSIVA, V. 21, N. 1, P. 80-88, 2009. DISPONÍVEL EM: . ACESSO EM: 10 OUT. 2018.

MARTINS, JOSIANE DE JESUS ET AL. NECESSIDADE DE ASPIRAÇÃO DE SECREÇÃO ENDOTRAQUEAL: CRITÉRIOS UTILIZADOS POR UMA EQUIPE DE ENFERMAGEM DE UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA. CIENCIA, CUIDADO E SAÚDE, V. 7, N. 4, P. 517-522, OUT-DEZ. 2008. DISPONÍVEL EM: . ACESSO EM: 25 OUT. 2018.

POMBO, CARLA MÔNICA NUNES ET AL. CONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA SOBRE PREVENÇÃO DE PNEUMONIA ASSOCIADA À VENTILAÇÃO MECÂNICA. CIÊNCIA E SAÚDE COLETIVA, V. 15, N. 1, P. 1061-1072, 2010. DISPONÍVEL EM: . ACESSO EM: 01 NOV. 2018.

SANTOS, VANESSA FUMACO DA ROSA DOS; FIGUEIREDO, ANA ELIZABETH PRADO LIMA. INTERVENÇÃO E ATIVIDADES

PROPOSTAS PARA O DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM - VENTILAÇÃO ESPONTÂNEA PREJUDICADA. ACTA PAULISTA DE ENFERMAGEM, V. 23, N. 6, P. 824-30, 2010. DISPONÍVEL EM: . ACESSO EM: 10 OUT. 2018.

SILVA, ROSEMERI MAURICI DA ET AL. PNEUMONIA ASSOCIADA À VENTILAÇÃO MECÂNICA: FATORES DE RISCO. REVISTA BRASILEIRA DE CLÍNICA MÉDICA, V. 9, N. 1, P. 5-10, JAN-FEV. 2011. DISPONÍVEL EM: . ACESSO EM: 01 NOV. 2018.

SMELTZER, SUZANNE C.; BARE, BRENDA G. MODALIDADES DO CUIDADO RESPIRATÓRIO. IN: SMELTZER, SUZANNE C.; BARE, BRENDA G. TRATADO DE ENFERMAGEM MEDICO-CIRÚRGICA – BRUNNER E SUDDARTH. 10. ED. RIO DE JANEIRO: GUANABARA KOOGAN, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.