Farma Game: jogo de tabuleiro para promoção do uso racional de medicamentos

Maria Fernanda B. de O. Brandão, Yasmin Sena Alves Dias, Aline Coelho de Santana, João Vitor Nossa

Resumo


O uso inadequado de medicamentos é considerado um problema de saúde pública. A sua utilização inadequada pode impactar, negativamente, a saúde da população e pode gerar desperdícios ao sistema de saúde. Erros na utilização de medicamentos são potencialmente evitáveis. E, por este motivo, os profissionais de saúde, educadores e gestores podem e devem contribuir com estratégias para Promoção do Uso Racional de Medicamentos Este artigo tem o objetivo de descrever o desenvolvimento de um material didático, jogo de tabuleiro intitulado "Farma Game", desenvolvido para a população na aprendizagem do conteúdo de promoção do uso racional de medicamentos em contexto domiciliar.A concepção do jogo de tabuleiro foi motivada pelo reconhecimento de que a inovação e a criatividade dos jogos podem constituir estratégias que atendam às necessidades do público alvo. Toda a sua concepção foi motivada por uma metodologia projetual convencional, por meio da delimitação do tema, o briefing, o custo do produto, as matérias-primas a serem utilizadas e uma estética que se adequasse ao objetivo. No jogo de tabuleiro os jogadores correm em direção a um determinado objetivo e, ao longo do caminho, o jogador é submetido às perguntas a respeito do tema, onde o acerto concederá a oportunidade de avançar sobre o tabuleiro.Devido à necessidade de reflexão, a ferramenta permite uma forte interação entre os participantes e o moderador. Desta forma motiva para o cuidado com o uso do medicamento, fazendo do jogo um agente facilitador da aprendizagem. O intuito, ao final do jogo, é conscientizar o jogador sobre informações


Texto completo:

PDF

Referências


Amarante, L.C. et al., 2010. A influencia do acompanhamento farmacoterapeutico na adesao a terapia anti-hipertensiva e no grau de satisfacao do paciente. Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicadas, v. 31, n. 3, p. 209-215, 2010.

Aquino, D.S. 2007. Por que o uso racional de medicamentos deve ser uma prioridade? Disponível em: https://www.scielosp.org/article/csc/2008.v13suppl0/733-736/pt/#ModalArticles

CIAVE, 2018. Dados sobre intoxicações por medicamento no Estado da Bahia.

Conselho Federal de Farmácia, 2019. Uso de medicamentos Disponível em: http://www.cff.org.br/userfiles/file/Uso%20de%20Medicame ntos%20-%20Relat%C3%B3rio%20_final.pdf

Corrêa et al 2013. Uma abordagem sobre o uso de medicamentos nos livros didáticos de biologia como estratégia de promoção de saúde. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141 3-81232013001000032&lng=en&nrm=iso&tlng=pt

Coscrato, G., et al., 2010. Utilização de atividades lúdicas na educação em saúde: uma revisão integrativa da literatura. Acta Paulista de Enfermagem, 23(2), 257-263.

D’ Alessio R. et al. 1997. Guía para el desarrollo de servicios farmacéuticos hospitalarios: información de medicamentos, Organización Panamericana de la Salud, Washington, 1997. Disponible en: http://www1.paho.org/spanish/Hsp/HSE/doc188.pdf

Fardo, M L. 2013. A GAMIFICAÇÃO APLICADA EM AMBIENTES DE APRENDIZAGEM. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/renote/article/view/41629/26409

Figueiredo, M F S. et al. 2009. Modelos aplicados às atividades de educação em saúde. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v63n1/v63n1a19.pdf

Homedes N. AND Ugaldes A., 1993. Patients' compliance with medical treatments in the third world. What do we know?, Health Policy and Planning.

Leite, S. N. AND Vasconcelos, M.P.C., 2018. Os diversos sentidos presentes no medicamento: elementos para uma reflexão em torno de sua utilização. Disponível em: http://www.acm.org.br/revista/pdf/artigos/810.pdf

Scharr, B. et al. 2016 Desenvolvimento da consciência do uso racional de medicamentos na formação de profissionais farmacêuticos. In: 14º Encontro Conversando sobre Extensão na UEPG (CONEX)., 2016, Ponta Grossa. Anais do 14º CONEX. Ponta Grossa: UEPG, 2016.vol 14º.

Tones, K AND Tilford, S. 1994. Health education: effectiveness, effeciency and equity. 2ª ed. London: Champman e Hall, 1994.

World Health Organization, 2002. Promoting rational use of medicines: core components. Avaible from:http://archives.who.int/tbs/rational/h3011e.pdf


Apontamentos

  • Não há apontamentos.