AÇÕES EDUCATIVAS E USO DE TECNOLOGIAS PARA GESTÃO DOS CUIDADOS NO PACIENTE DIABÉTICO

Helena Marilia F. C. Guimarães, Josiane Silva Martins Carvalho, Julia Elen Jesus da Silva, Carla Barreto Cardoso, Fernando Luis de Queiroz Carvalho

Resumo


A educação em saúde representa um recurso para promoção de saúde e prevenção de doenças. O objetivo é investigar o uso de ações educativas voltadas à gestão dos cuidados no paciente diabético. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura, obtida a partir de dados secundários das bases de dados SCIELO, PubMed e da Plataforma Periódicos Capes, no período de 2003 a 2019. Para garantir a amplitude do estudo, os artigos foram agrupados em três categorias. Os resultados demonstram que a utilização de ações educativas detém grande importância no gerenciamento do curso da doença, bem como do seu tratamento. A educação em saúde é um recurso por meio do qual os profissionais de saúde têm a possibilidade de fornecer ao indivíduo diabético conhecimento sobre a sua enfermidade, permitindo o desenvolvimento da autonomia e da capacidade de autogerenciamento dos mesmos.


Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, V. S., 2005. Um modelo de educação em saúde para o Programa Saúde da Família: pela integralidade da atenção e reorientação do modelo assistencial. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, SP, v. 9, n. 16, p. 39-52.

AMERICAN DIABETES ASSOCIATION, 2010. Diagnosis and Classification of Diabetes Mellitus. Diabetes Care. (Suppl 1), S:62-S:69.

AMIRKHIZI, A.J, et al., 2018. Adherence to medications, self-care activity, and HbA1c status among patients with type 2 diabetes living in an urban area of Iran. Journal of Diabetes & Metabolic Disorders.. V.17, ed.2 , pp 165–172.

BARDIN, L., 2011. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

BERNIER, A et.al., 2018. New-Onset Diabetes Educator to Educate Children and Their Caregivers About Diabetes at the Time of Diagnosis: Usability Study, JMIR Diabetes, v.3, n.2.

BRITO, G.M.G et al., 2016 Qualidade de vida, conhecimento e atitude após programa educativo para Diabetes. Acta paul. enferm., São Paulo , v. 29, n. 3, p. 298-306.

CHAWLA, S. P. S et al., 2019 I Impact of health education on knowledge, attitude, practices and glycemic control in type 2 diabetes mellitus. Journal of Family Medicine and Primary Cary. V.8, n.1, p.261-268.

COSTA, M.; LÓPEZ, E., 1996. Educación para la salud. Madrid: Pirámide,. p. 25-58.

CYRINO, A. P; SCHRAIBER, L.B; TEIXEIRA, R.R., 2009. Education for type 2 diabetes mellitus self-care: from compliance to empowerment. Interface (Botucatu), Botucatu, v. 13, n. 30, p. 93-106.

FARIA, H.T.G et al., 2013. Qualidade de vida de pacientes com diabetes mellitus antes e após participação em programa educativo. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo, v. 47, n. 2, p. 348-354.

FAVARO,T.L. et al., 2016. Impacto da estratégia de grupo educativo no melhoramento de parâmetros clínicos e glicêmicos de diabéticos e hipertensos. Invest. educ. enferm.vol.34 no.2

FERREIRA,V.Campos,.S.,2014.Advances in pharmacological treatment of type 2 diabetes. Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research-BJSCR. Vol.8, n. 3, p.72-78.

FREIRE, P., 2002. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa.24ªed.São Paulo: Paz e Terra.

GRILLO, M. F. F. et al., 2013. Efeito de diferentes modalidades de educação para o autocuidado a pacientes com diabetes. Rev. Assoc. Med. Bras., São Paulo , v. 59, n. 4, p. 400-405.

IMAZU, M.F.M.et al., 2015. Effectiveness of individual and group interventions for people with type 2 diabetes. Rev. Latino-Am. Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 23, n. 2, p. 200-207.

KEBEDE, M.M; Schuett, C.; Pischke, C. R., 2019 The Role of Continuous Glucose Monitoring, Diabetes

Smartphone Applications, and Self-Care Behavior in Glycemic Control: Results of a Multi-National Online Survey. Journal of Clinical Medicine. V.8, n.1, p.109.

LEE, Y. et al., 2016. Intervention for Diabetes with Education, Advancement and Support (IDEAS) study: protocol for a cluster randomised controlled trial. BMC Health Services.

LIMA, C.R., 2018. Educação em saúde: avaliação de intervenção educativa com pacientes diabéticos, baseada na teoria social cognitive. Ciênc. educ.vol.24 no.1.

MACEDO, M. M.L., et al., 2017. Adesão e empoderamento de usuários com diabetes mellitus para práticas de autocuidado: ensaio clínico randomizado. Rev Esc Enferm USP, v. 51.

MENDES, K.D.S., Silveira R.C.C.P., Galvão C.M., 2008. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm. 17(4): 758-64.

MILLO, R,b.; Connelly, C, D., 2019. Predictors of glycemic management among patients with type 2 diabetes. Journal of clinical nurse.V.28.

NETO, G., Malik, A. M., 2014. Gestão em Saúde. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

RANKIN, D., et. al.,2018. Barriers and facilitators to taking on diabetes self-management tasks in pre-adolescent children with type 1 diabetes: a qualitative study. BMC Endocr Disord, V.18.

RODRIGUES, A.J., 2006. Metodologia científica. São Paulo: Ed. Avercamp.

SCHALL, V.T.; S Struchiner M., 1999. Educação em saúde: novas perspectivas. Cad. Saúde Pública, v. 15, supl. 2, p. S4-S6.

SILVA, D.D.R.; Bosco, A.A.2015. An educational program for insulin self-adjustment associated with structured self-monitoring of blood glucose significantly improves glycemic control in patients with type 2 diabetes mellitus after 12 weeks: a randomized, controlled pilot study. BMC, Central. Diabetology e Metabolic Syndrome. n.7.v.2.

TORRES, H.C.et.al., 2011. Intervenção educativa para o autocuidado de indivíduos com diabetes mellitus. Acta paul. enferm., v. 24, n. 4, p. 514-519.

TORRES, H.C.; Hortale, V.A.; Schall., V. 2003. A experiência de jogos em grupos operativos na educação em saúde para diabéticos. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro , v. 19, n. 4, p. 1039-1047.

TORRES, H.C.; Pereira.; Rodrigues, F. L; Alexandre, L.R., 2011.Avaliação das ações educativas na promoção do autogerenciamento dos cuidados em diabetes mellitus tipo 2. Rev. esc. enferm. USP, v. 45, n. 5, p. 1077-1082.

VIEIRA,G.L.C.; Cecilio, S.G.; Torres, H.C., 2017. A percepção dos usuários com diabetes sobre a estratégia de educação em grupos na promoção do autocuidado. Esc. Anna Nery, Rio de Janeiro , v. 21, n. 1.

WHITTEMORE, R.; Kathleen, K., 2005. The integrative review: updated methodology. Methodological issues in nursing research. Journal of Advanced Nursing, 52(5),p. 546–553


Apontamentos

  • Não há apontamentos.