Jogos Digitais e Estimulação de Funções Executivas: Experiência com o Gamebook Guardiões da Floresta

Marcele Gomes de Jesus, Lynn Rosalina Gama Alves

Resumo


O estudo aqui relatado tem por objetivo socializar os dados produzidos durante a investigação realizada no período de setembro a novembro de 2017, com 65 crianças na faixa etária de 6 a 14 anos que interagiram com o Gamebook Guardiões da Floresta (GB) em distintos cenários, isto é, no espaço clínico e no espaço escolar. A referida pesquisa teve como objetivo identificar as dificuldades que os sujeitos tinham em interagir com este ambiente interativo, no modo clínica. A análise, subsidiada pela abordagem qualitativa e de caráter exploratório, indicou que os sujeitos envolvidos na pesquisa apresentaram as seguintes dificuldades: letramento (não apenas de alfabetização) que resultaram na incompreensão das regras e consequentemente a insistência no erro, pois não entendiam o que os minigames exigiam, adotando um comportamento de tentativa e erro. Os resultados foram sistematizados e discutidos com o grupo de pesquisa, subsidiando novas intervenções, bem como o processo de desenvolvimento, retroalimentando o sistema simultaneamente ao processo de investigação. Além disso, podemos ratificar o papel do GB para estimular as funções executivas e a prática da leitura das crianças, subsidiando práticas tanto na escola como na clínica.


Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, L. E BONFIM, C., 2016. Gamebook e a estimulação de funções executivas em crianças com indicação de diagnóstico de tdah: processo de pré-produção, produção e avaliação do software. Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 25, n. 43, p. 141-157.

ALVES, L. E SANTOS, W., 2016. Uma Análise dos Jogos Lumosity e Elevate: Delineando Métricas Avaliativas. In: Simpósio Brasileiro de Games e Entretenimento Digital, 15, São Paulo, SP. Anais eletrônicos... São Paulo, 2016. Disponível em: www.sbgames.org/sbgames2016/downloads/anais/15661 6.pdf [acessado em: 22 jan. 2019].

CARNIELLO, L., et al., 2010. A relação entre os nativos digitais, jogos eletrônicos e aprendizagem. In: Simpósio Hipertexto e Tecnologias na Educação, 3., Recife. Anais... UFPE, 2010.

DIAS, N. E SEABRA, A., 2013. Funções executivas: desenvolvimento e intervenção. Temas sobre Desenvolvimento, [S.L.], v. 19, n. 107, p. 206-212.

FARIA, E.; MOURÃO JÚNIOR, C., 2013. Os recursos da memória de trabalho e suas influências na compreensão da leitura. Psicologia: ciência e profissão, [S.L.], v. 33, n. 2, p. 288-303.

FONSECA, M.; et al., 2012. Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade na escola: mediação psicopedagógica. Rev. psicopedag., São Paulo, v. 29, n. 90, p. 330-339. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&p id=S0103-84862012000300007&lng=pt&nrm=iso [acessado em 22 jan. 2019].

FIGUEIREDO, O. E SBISSA, P., 2013. Efeito dos jogos eletrônicos sobre atenção seletiva. Ciências & Cognição, [S.L.], v. 18, n. 2, p. 129-135.

FREITAS, D. E PATRIOTA, K., 2011. Os advergames como possibilidade midiática diante da segmentação do mercado. In: Congresso de Ciências da Comunicação na Região Nordeste, 13., Maceió. Anais... Maceió: Intercom, 2011.

GUIMARÃES, P., K., 2016. Uma Análise das possíveis contribuições do Gamebook Guardiões da Floresta para estimulação das funções executivas. In: Simpósio Brasileiro de Jogos e Entretenimento Digital, 15., São Paulo. Anais... São Paulo, 2016.

LIMA, R., et al., 2011. Attentional performance and executive functions in children with learning difficulties.

Psicol. Reflex. Crit., Porto Alegre, v. 24, n. 4, p. 685-691. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid= S0102-79722011000400008&lng=en&nrm=iso [acessado em 23 jan. 2019].

________.; 2009. Amostra de desempenho de estudantes do ensino fundamental em testes de atenção e funções executivas. Rev. psicopedag., São Paulo, v. 26, n. 80, p. 188-199. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&p id=S0103-84862009000200004&lng=pt&nrm=iso [acessado em 23 jan. 2019].

MALLOY-DINIZ, L.; et al., 2010. Exame das funções executivas. In: L.F. Malloy-Diniz, et al. (Org.) Avaliação neuropsicológica. 1a Ed. Porto Alegre: Artmed, p. 94-113.

MAY, T., 2001. Pesquisa social: Questões, métodos e processos. Porto Alegre, Artmed, p. 173-203.

MOSSMANN, J.; et al. 2016. Um Exergame para Estimulac ̧ao de Componentes das Funções Executivas em Crianças do Ensino Fundamental I . In: Simpósio Brasileiro de Games e Entretenimento Digital, 15, São Paulo, SP. Anais eletrônicos... São Paulo, 2016. Disponível em: http://www.sbgames.org/sbgames2016/downloads/anais/ 157307.pdf [acessado em: 22 jan. 2019].

NUNES, O.; OLIVEIRA, V., 2010. A memória de curto prazo do universitário e a prática de jogos: um estudo comparativo. Rev. psicopedagogia, [S.L.], v. 27, n. 82, p. 59-67.

PICCOLO, L.; SALLES, J., 2013. Vocabulário e memória de trabalho predizem desempenho em leitura de crianças. Revista Psicologia: Teoria e Prática, São Paulo, v. 15, n. 2, p. 180-191.

RAMOS, D. E MELO, H., 2016. Jogos digitais e desenvolvimento cognitivo: um estudo com crianças do Ensino Fundamental. Revista Neuropsicologia Latinoamericana, [S.L.], v.8, n.3, p. 22-32. Disponível em:https://www.neuropsicolatina.org/index.php/Neuropsi cologia_Latinoamericana/article/view/324 [acessado em 22 jan. 2019].

RIVERO, T., QUERINO, E. E STARLING-ALVES, I., 2012. Videogame: seu impacto na atenção, percepção e funções executivas. Revista Neuropsicologia Latinoamericana, [S.L], v. 4, n. 3, p. 38-52.

SILVA, O., 2017. (Multi)letramentos e formação de professores na sociedade digital: entretecendo (desa)fios. In: ALVES, L., MOREIRA, J. A. (orgs.) Tecnologias & Aprendizagens Delineando Novos Espaços de Interação, Salvador: EDUFBA, 2017.

SOARES, M.; 2004. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, n. 25, p. 5-17. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid= S1413-24782004000100002&lng=en&nrm=iso [acessado em 21 jan. 2019].

________.; 2004. Alfabetização e letramento: caminhos e descaminhos. Revista Pátio- Revista Pedagógica, São Paulo, p. 96-100. Disponível em: http://www.acervodigital.unesp.br/bitstream/123456789/ 40142/1/01d16t07.pdf [acessado em 22 jan. 2019].

VIEIRA, J.; et al. 2017. Funções executivas e games: teoria e prática dentro do contexto escolar. In: Simpósio Brasileiro de Games e Entretenimento Digital, 16, Curitiba, PR. Anais eletrônicos... Curitiba, 2017. Disponível em: https://www.sbgames.org/sbgames2017/papers/CulturaS hort/175399.pdf [acessado em: 22 jan. 2019].


Apontamentos

  • Não há apontamentos.