Aplicação de Jogos Digitais na Arteterapia para Reabilitação Cognitiva de Esquizofrênicos

Fabiana Menezes, Kenia K. Cox, Patrícia V. dos S. Teles

Resumo


A esquizofrenia é um transtorno psicótico caracterizado por delírios, alucinações, além de pensamento, discurso e comportamento motor desorganizados, e sintomas relativos à ausência ou diminuição das cognições. No Brasil os esquizofrênicos são assistidos por Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), criados pela Reforma Psiquiátrica, a qual visa a desospitalização da assistência em saúde mental. Segundo a Organização Mundial de Saúde, este transtorno é tratável; mas apesar das medicações serem indispensáveis, apresentam limitações na eficácia para equalização dos déficits cognitivos e dos prejuízos do funcionamento social apresentados pelos esquizofrênicos, o que estimulou o estudo de terapêuticas complementares. Assim surgiu a proposta de reabilitação cognitiva, a qual visa através do restabelecimento do desenvolvimento das habilidades cognitivas dos indivíduos com transtornos mentais, aprimorar sua qualidade de vida, reduzindo o impacto dos déficits em seu desempenho profissional, nas atividades diárias e em sociedade. Neste trabalho entende-se que uma forma de materializar a reabilitação cognitiva é a arteterapia, que por sua vez visa o uso terapêutico da atividade artística, considerando que assim as pessoas podem ampliar o conhecimento de si e dos outros e aumentar sua autonomia. E para instrumentalizar a arteterapia neste aplicam-se jogos digitais. Logo objetiva-se, por meio de revisão bibliográfica, buscar evidências teóricas de que os jogos digitais servem como instrumentos para aplicar a arteterapia na reabilitação cognitiva voltada para acompanhamento terapêutico de esquizofrênicos; bem como delinear uma forma de aplicação e avaliação deste.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.