Estruturas da ação dramática em videogames: especificidades e trajetória

Victor Cayres

Resumo


O estudo da construção dramatúrgica dos videogames ganha relevância à medida que desenvolvimento tecnológico permite uma crescente complexificação dos aspectos narrativos desses jogos. Entretanto, as especificidades da construção da narrativa dramática dos videogames ainda não estão suficientemente mapeadas. Esse artigo se dedica a analisar estruturas da ação dramática nos jogos produzidos para consoles tornadas possíveis com o desenvolvimento tecnológico. O artigo toma como ponto de partida a estrutura clássica da ação dramática, identifica especificidades do modo de mimetizar dos jogos e do meio digital e verifica variações da estrutura inicialmente estudada nos jogos produzidos para consoles. Por fim, pode concluir que o desenvolvimento tecnológico dos consoles possibilitou modelos de ação dramática cuja concepção incorpora elementos dos gêneros épico e lírico e demandam um referencial para além do modelo clássico para ser estudado.


Texto completo:

PDF

Referências


ARANHA, Gláucio , 2004. O processo de consolidação dos jogos eletrônicos como instrumento de comunicação e de construção de conhecimento. Ciências & Cognição (UFRJ). Disponível em: www.cienciasecognicao.org, v.3, p.21-62.

ARISTÓTELES, 1984. POÉTICA.TRADUÇÃO EUDORO DE SOUZA. COLEÇÃO OS PENSADORES (VOL.2). SÃO PAULO: EDITOR VICTOR CIVITA.

BAER, Ralph H, 2004. Video game history. Disponível em: http://www.ralphbaer.com/video_game_history.htm (Acessado pela últuma vez em 17 jan. 2011 )

BAER, Ralph H, 1998. Genesis: how the video game industry began. Disponível em: http://www.ralphbaer.com/how_video_games.htm (Acessado pela última vez em 17 jan. 2011)

BAKHTIN, Mikhail, 1998. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. São Paulo: Unesp. Hucitec.

CAILLOIS, Roger, 1990. Os jogos e os homens: a máscara e a vertigem. Tradução José Garcez Palha. Cotovia: Lisboa.

ESSLIN, Martin, 1978. Uma anatomia do drama. Rio de Janeiro: Zahar.

FIELD, Syd, 2001. Manual do roteiro:os fundamentos do texto cinematográfico. Rio de Janeiro: objetiva.

FRASCA, Gonzalo, 2001. Videogames of the oppressed: videogames as a means for a critical thinking an debate. Thesis presented to School of Literature, Communication and Culture, Georgia Institute of Technology. Disponível em pdf: www.ludology.org, (acessado em 17 jan. 2011).

GASSNER, J., 1974. Corneille e Racine: a tragédia polida. In:______. Mestres do Teatro. São Paulo:

EDUSP: Perspectiva, p.308-330.

HUIZINGA, Johan, 2008. Homo Ludens. Tradução João Paulo Monteiro. 5 ed – 3ª reimpressão. São Paulo: Perspectiva.

LAUREL, Brenda. Computer as Theatre. Massachusetts: Addison-Wesley Publishing, 1993.

LEBOWITZ, Josiah; KLUG, Chris, 2011. Interative Storytelling for video games: a player-centered approach for creating memorable characters and stories. International Edition: Focal Press.

MURRAY, Janet H, 2003. Hamlet no holodeck: O futuro da narrativa no ciberespaço. Tradução Elissa Khoury Daher, Marcelo Fernandez Cuzziol. São Paulo: UNESP: Itaú Cultural.

PALLOTINI, Renata, 1983. Introdução à dramaturgia. São Paulo: Brasiliense.

PAVIS, Patrice, 2005a. Espaço, Tempo, Ação. A análise dos espetáculos. São Paulo: Perspectiva.

PAVIS, Patrice, 2005b. Dicionário de Teatro. Tradução J. Guinsburg e Maria Lúcia Pereira. 2. ed. - reimpressão. São Paulo: Perspectiva.

ROSENFELD, Anatol, 1985. Gêneros e traços estilísticos. In:______. Teatro Épico. São Paulo: Perspectiva. p. 15-36.

SALEN, K.; ZIMMERMAN, 2004. Rules of Play. Massachusetts: MIT Press.

SARRAZAC, J.P. 2002. O future do drama. Porto: Campo das Letras.

SHUYTEMA, Paul, 2008. Design de Games: Uma abordagem prática. Tradução Cláudia Mello Behassof. São Paulo: Cengage Lerning.

STEIGER, Emil, 1969. Conceitos fundamentais da Poética. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.

SZONDI, Peter, 2002. Teoria do drama moderno (1880-1950). São Paulo: Cosac&Naify.

WOLF, Mark J. P., 2008. The video game explosion: a history from pong to playstation. London: GreenWood Press.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.