A (IN)CONSTITUCIONALIDADE DA IMPOSIÇÃO DO REGIME DA SEPARAÇÃO DE BENS PARA AS PESSOAS MAIORES DE SETENTA ANOS

Caroline Cristiane Werle, Ana Paula Weiss

Resumo


Este trabalho tem como objetivo principal verificar a constitucionalidade da imposição do regime da separação de bens para as pessoas maiores de setenta anos. Frente a isso, a pesquisa pretende responder ao seguinte problema: a norma contida no artigo 1.641 inciso II do Código Civil de 2002, que obriga as pessoas com idade igual ou superior à setenta anos de idade a contrair matrimônio apenas sob o regime de separação obrigatória de bens, é inconstitucional e, assim sendo, fere os princípios da dignidade da pessoa humana, da igualdade e da liberdade contidos da Constituição Federal de 1988? Dessa forma, num primeiro ensejo o artigo fará breves apontamentos sobre o matrimônio no brasil e sobre os regimes de bens existentes. Na sequência serão trabalhados os princípios no direito de família, especialmente a dignidade da pessoa humana, a igualdade e a liberdade. E por fim será analisada a inconstitucionaldiade do artigo 1.641, inciso II, do Código Civil brasileiro. Sem a pretensão de esgotar o assunto em pauta, acredita-se, em linhas gerais, que o disposto no artigo 1641, II, do Código Civil brasileiro afronta os princípios constitucionais, uma vez que o mero atingimento da idade de setenta anos não retira da pessoa a sua capacidade para atuar na ordem civil. Com relação à metodologia, utilizou-se o método de abordagem dedutivo. No tocante ao método de procedimento, foi usado o monográfico e relativamente à tecnica de pesquisa utilizou-se a pesquisa bibliográfica no sentido de desenvolver o tema de acordo com o referencial teorico apropriado.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei n.º 10.105, de 10 de janeiro de 2002. Código Civil Brasileiro. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10406.htm. Acesso em: 15 jun. 2019.

COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de direito civil família e sucessões. 5. ed. rev. e atual. São Paulo: Saraiva, 2012. E- book.

DIAS, Maria Berenice. Manual de direitos das famílias. 4. ed. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2016. E- book.

______. Manual de direitos das famílias. 9. ed. rev., atual e ampl. de acordo com: Lei 12.344/2010: Lei 12.398/2011. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2013.

DINIZ, Maria Helena. Curso de Direito Civil Brasileiro: direito da família. 25. ed. São Paulo: Saraiva, 2010.

FIUZA, César. Direito Civil: curso completo. 17. ed. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2014.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito Civil Brasileiro: direito de família. 7. ed. rev. ampl. e atual. São Paulo: Saraiva, 2010.

______. Direito Civil esquematizado. São Paulo: Saraiva, 2011.

______. Direito Civil 3: esquematizado: responsabilidade civil, direito de família, direito das sucessões . 4. ed. - São Paulo: Saraiva, 2017. E- book.

LISBOA, Roberto Senise. Manual de direito civil: direito de família e sucessões. 7. ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

MAIA JÚNIOR, Mairam Gonçalves. A família e a questão patrimonial: planejamento patrimonial, regime de bens, pacto antenupcial, contrato patrimonial na união estável. 1 ed. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2015. E- book.

PEREIRA, Caio Mário da Silva. Instituições de direito civil. 25. ed. rev., atual. e

ampl. – Rio de Janeiro: Forense, 2017

TARTUCE, Flávio; SIMÃO, José Fernando. Direito Civil: direito de família. 7. Ed. Rio de Janeiro: Forense, 2012.

VENOSA, Sílvio de Salvo. Direito Civil: direito de família. 14. ed. São Paulo: Atlas, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Scientia: Revista Científica Multidisciplinar

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

TUTORIAL DE SUBMISSÃO

INDEXADORES:

Pergamum

Diadorim

Google Acadêmico

Sumários.org

e-ISSN 2525-4553

Qualis Periódicos (2017-2018): B3

PORTAL DA UNEB 

PORTAL DO IFBA

PORTAL DE PERIÓDICOS DA UNEB

 

 

estatisticas gratis