ANÁLISE DOS RECURSOS HÍDRICOS NO ASSENTAMENTO JIBOIA, MUNICÍPIO DE SENHOR DO BONFIM-BA

Valéria Pereira Alves, Delfran Batista dos Santos, Ana Paula Santos Silva

Resumo


No semiárido brasileiro o acesso ao saneamento e à água ainda é uma demanda urgente, além dos sérios problemas com questão agrária. Saneamento básico, água e reforma agrária sustentam a problemática histórica no nordeste brasileiro. No entanto, os assentamentos rurais representam um fato recente e importante na história do Brasil, que devido a sua natureza sistêmica e interdisciplinar é fonte inesgotável de estudos. Diante disso, o presente trabalho teve por objetivo analisar a cerca do manejo dos recursos hídricos pelas famílias assentadas e sua disponibilidade no Assentamento Jiboia no município de Senhor do Bonfim-Bahia. Para averiguar o manejo e disponibilidade dos recursos hídricos na comunidade, foram realizadas visitas a comunidade, registros fotográficos, entrevistas e aplicação de questionários. Dentre os resultados obtidos, verificou-se que apesar de o assentamento pesquisado dispor de várias fontes de água, a cisterna foi principal meio de disponibilidade da mesma, com seu uso adequado pelas famílias, garantindo assim, o acesso deste recurso a comunidade, principalmente no longo período de estiagem que atingiu a região de Senhor do Bonfim.

Texto completo:

PDF

Referências


Abelardo A. A. Montenegro & Suzana M. G. L. Montenegro. Olhares sobre as políticas públicas de recursos hídricos para o semiárido.In:Recursos hídricos em regiões semiáridas: Estudos e aplicações. Campina Grande: Insa, 2012. 282p.

Araújo, Liana Brito de Castro; Almeida Carla Alcyone da Silva; Santana, Iara Vanessa Fraga de. Condições Sócio-Ambientais do Assentamento Rural 25 de Maio/Ce: um estudo a partir do Projeto Fossa Verde no Semi-Árido. V Jornada Internacional de políticas Públicas. Maranhão. ago. 2011.

Bahia. Plano Diretor de Recursos Hídricos Bacia do Rio Itapicuru. Salvador: Superintendência de Recursos Hídricos do Estado da Bahia. mai. 1995.

Barros, Aidil. Jesus da Silveira; Lehfeld, Neide Aparecida de Souza. Projeto de pesquisa: propostas metodológicas. Petrópolis: Vozes, 2001.

Borges, Janice Rodrigues Placeres; Fabbro, Amaury Lelis Dal; Filho, Pedro Ferreira. Condições de Vida e Qualidade do Saneamento Ambiental em Assentamentos da Reforma Agrária Paulista: Representações e práticas cotidianas.XV Encontro Nacional de Estudos Populacionais.Caxambú.set. 2006.

Brasil. Guia de Vigilância Epidemiológica. Ministério da Saúde. 6 ed. Brasília, 2005.

Brasil. Resolução nº 196/96. Diretrizes e Normas Regulamentadoras de Pesquisas Envolvendo Seres Humanos. Disponível em: Acesso em 16 de maio de 2013.

Brasil. Portaria nº 518/200. Ministério da Saúde. Disponível em: Acesso em: 16 de março de 2013.

Brasil. O Agente Comunitário de Saúde no controle da dengue. Ministério da Saúde. Brasília, 2009. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/cartilha_acs_dengue_web_09_11.pdf> Acesso em 12 de março de 2013.

Coca, Estevan Leopoldo de Freitas; Fernandes, Bernardo Mançano. Análise e Mapeamento dos Tipos de Assentamentos no Brasil: Compreender a Diversidade e a Atualidade da Reforma Agrária Brasileira: Estudo dos Assentamentos das Regiões Norte e nordeste. Relatório. Presidente Prudente. 2008.

EBDA. Controle Mensal de Pluviometria. Senhor do Bonfim. 2012.

EBDA. Diagnóstico Rural Participativo: Projeto de Assentamento Jiboia. Senhor do Bonfim. 2011.

Feitosa, Nilson de Brito e Filho, Carlos Fernandes M. Treinamento de curta duração saneamento rural (Abastecimento d’água). Disponível em: http://www.dec.ufcg.edu.br/saneamento/A0.html?submit=Voltar+ao+%CDndice> Acesso em: 18 de março de 2013.

FUNASA. Instruções para Pessoal de Combate ao Vetor (Tratamento). Brasília, 2001. Disponível em:. Acesso em: 09 de março de 2013.

FUNASA. Saneamento rural O desafio de universalizar o saneamento rural. Boletim Informativo. 10 ed. dez. 2011.

Gil, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

Gil, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 3.ed. São Paulo: Atlas, 1991.

Gnadlinger, Johann. Captação de água de chuva para populações rurais em regiões áridas e semiáridas. IRPAA. Juazeiro, 2012. 26p.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: Acesso em 14 maio de 2013.

INCRA. Histórico da questão agrária. Disponível em: Acesso: em: 16 março de 2013.

Malvezzi, Roberto. Semi-árido: uma visão holística. Brasília: Confea, 2007. 140p.

Minayo, Maria Cecília Souza (Org). Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 1994.

Moura, Magna Joelma Bezerra; et al. Clima e água de chuva no Semi-Árido Potencialidades da água de chuva no Semi-Árido brasileiro. Embrapa, 2012.13p. Disponível em: Acesso em: 14 de março de 2013.

Neto, Cícero Onofre de Andrade. Proteção Sanitária das Cisternas Rurais XI Simpósio Luso Brasileiro de Engenharia Sanitária).Natal. Mar/abr.2004

Santos, C. F.; Schistek, H.; Oberhofer, M.(Elab.). No Semi-árido, viver é Aprender a Conviver: Conhecendo o Semi-árido em Busca da Convivência. 2007. 48p.

Secretaria Municipal de Saúde de Senhor do Bonfim. Sistema de Informação do PNCD. Relatório. Senhor do Bonfim. 2012.

Silva, Conceição de Maria de Sousa; et al (Org.). Semiárido Piauiense: Educação e Contexto. Campina Grande-PB: Triunfal Gráfica, 2010.

Silva, Suênio Anderson e Almeida ,Feliciano da Marcello Maia de.Análise no tratamento da água e manutenção das cisternas num bairro da cidade de Mogeiro-PB. 8º Simpósio Brasileiro de Captação e Manejo de Água da Chuva. Campina Grande-PB. set. 2012.

Tecnologia Social. Fossa Séptica Biodigestora: Saúde e Renda no Campo. Brasília: Fundação Banco do Brasil, 2010. 32p.

Tucci, C. E. M.; Cordeiro, O. M. Diretrizes estratégicas para ciência e tecnologia em recursos hídricos no Brasil. Rega.vol. 1, n 1, p. 5-20, jan/jun, 2004.

Universidade Federal de Santa Catarina. Tecnologias Alternativas para Aproveitamento de Águas. Curso de Especialização e Gestão de Recursos Hídricos. Disponível em: Acesso em 19 de fevereiro de 2013.

Vergara, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 Base de Indexadores: