Concordância de uso e importância das espécies utilizadas como medicinais pela comunidade do Povoado Juá, Paulo Afonso – BA

Thaíse Bezerra de Oliveira, Josaline Chaves da Costa

Resumo


Técnicas para análise de dados etnobotânicos estão sendo muito usadas para quantificar levantamentos sobre o uso de plantas por determinadas populações. O objetivo do presente trabalho foi analisar o uso das plantas medicinais e a importância das espécies e famílias nos quintais do Povoado Juá no município de Paulo Afonso – BA. Para atingir os objetivos propostos foram utilizados os cálculos de Valor de Uso (VU) e a porcentagem corrigida de Concordância quanto aos Usos principais (CUPc). Foram realizadas entrevistas semiestruturadas em todas as residências do Povoado (127), onde foi entrevistada uma pessoa por residência que mencionaram 30 espécies diferentes presentes em seus quintais. As espécies que obtiveram os maiores valores de uso e a concordância corrigida quanto ao uso principal foram Lippia alba (Mill.) N.E. Br. (erva cidreira), Mentha x villosa Huds. (hortelã), Cymbopogon citratus (D.C) Stapf (capim santo) e Plectranthus barbatus Andrews (boldo). Para o cálculo da porcentagem corrigida de Concordância quanto aos Usos Principais (CUPc) foram consideradas como espécies principais as que apresentaram valores acima de  35%. As famílias mais importantes foram Lamiaceae e Rutaceae. Na preparação dos medicamentos as folhas foram à parte da planta mais utilizada e o chá a principal forma de preparo. As plantas citadas neste trabalho reafirmam a importância da pesquisa etnobotânica no resgate do conhecimento tradicional, seja pelo seu valor histórico ou pela necessidade de confirmação das indicações de uso.

Palavras-chave


Etnobotânica. Plantas medicinais. Valor de uso

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, U. P.; LUCENA, R. F. P e CUNHA, L. V. F. C. Métodos e técnicas na pesquisa etnobotânica. NUPPEA - Recife, 2008.

ALMEIDA, C.F.C.B.R.; ALBUQUERQUE, U.P. 2002. Uso e conservação de plantas e animais medicinais no Estado de Pernambuco (Nordeste do Brasil): um estudo de caso. Interciência, v.27, n.6, p. 276-285, 2002.

AMOROZO, M. C. M. Uso e diversidade de plantas medicinais em Santo Antônio do Leverger, MT, Brasil. Acta Botanica Brasilica, v.16, n.2, p.189-203, 2002.

AMOROZO, M.C. e GÉLY, A. Uso das plantas medicinais por caboclos do baixo Amazonas. Barcarena, PA, Brasil. Boletim do Museu Paranaense “Emílio Goeldi”, v.4, p.47-131, 1988.

AOUAR-FILHO, R. A. E.; VALE, A. A., PINHEIRO, L. C.; REIS, A. C., GOMES, S. S. L.; MAINENTI, J. L., BLANK, A. F.; PINHEIRO, J. B e VICCINI, LF. Estimativa da quantidade de DNA por citometria de fluxo em 68 acessos de Lippia alba (Mill.) N. E. BR. (Verbenaceae). IN: Resumos do 55º Congresso Brasileiro de Genética. Águas de Lindóia - SP, 2009.

ARNOUS, A. H.; Santos, A. S. e BEINNER, R. P. C. Plantas medicinais de uso caseiro - conhecimento popular e interesse por cultivo comunitário. Revista Espaço para a Saúde, v.6, n.2, p.1-6, 2005.

BORBA, A. M. e MACEDO, M. Plantas medicinais usadas para a saúde bucal pela comunidade do bairro Santa Cruz, Chapada dos Guimarães, MT, Brasil. Acta Botanica Brasilica, v.20, n.4, p.771-782, 2006.

BOSCOLO, O. H. e VALLE, L. S. Plantas de uso medicinal em Quissamã, Rio de Janeiro, Brasil. Iheringia, v.63, n.2, p.263-277, 2008.

BRITO, M. R. e SENNA-VALLE, L Plantas medicinais utilizadas na comunidade caiçara da Praia do Sono, Paraty, Rio de Janeiro, Brasil. Acta Botanica Brasilica, 25(2): 363-372, 2011.

CARNIELLO, M. A., SILVA, R. S., CRUZ, M. A. B. e GUARIM NETO G. Quintais urbanos de Mirassol D’Oeste-MT, Brasil: uma abordagem etnobotânica. Acta Amazonica, v.40, n.3, p.451 – 470, 2010.

CASTELLUCCI, S., LIMA, M. I. S., NORDI, N. e MARQUES, J. G. W. Plantas medicinais relatadas pela comunidade residente na Estação Ecológica de Jataí, Município de Luís Antônio/SP: Uma abordagem etnobotânica. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v.3 ,n.1,p. 51-60, 2000.

CHAVES, M. S.; DANTAS, F. M.; FONTES, L. S.; CHAVES, R. S. e KINUPP, V. F. Etnobotânica em uma comunidade ribeirinha do Careiro Castanho, AM, Brasil. Cadernos de Agroecologia, v.6, n.2, 2011.

FOGLIO M. A.; QUEIROGA, C. L.; SOUSA, I. M. O. ; RODRIGUES, R. A. F. Plantas Medicinais como Fonte de Recursos Terapêuticos: Um Modelo Multidisciplinar. Revista Multiciência, v.7, 2006.

FRANCO, E. A. P.; BARROS, R. F. M. Uso e diversidade de plantas medicinais no Quilombo Olho D’água dos Pires, Esperantina, Piauí. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v.8, n.3, 78-88, 2006.

GUERRA, A. M. N. M.; PESSOA, M. F.; SOUZA, C. S. M. e MARACAJÁ, P. B. Utilização de plantas medicinais pela comunidade rural Moacir Lucena, Apodi-RN. Bioscience Journal, v.26, n.3, p.442-450, 2010.

HEINZMANN, B. M. e BARROS, F. M. C. Potencial das plantas nativas brasileiras para o desenvolvimento de fitomedicamentos tendo como exemplo Lippia alba (Mill.) N.E. Brown (Verbenaceae). Revista Saúde, v. 33, n.1, p 43-48, 2007.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades. Disponível em: . Acesso em: Dez. 2011

JACOBY, C.; COLTRO, E. M.; SLOMA, D. C.; MÜLLER, J.; DIAS, L. A.; LUFT, M. e BERUSKI, P. Plantas medicinais utilizadas pela comunidade rural de Guamirim, Município de Irati, PR. Revista Ciências Exatas e Naturais, v.4, n.1, 2002.

JORGE, S. S. A. Plantas medicinais: Coletânea de Saberes, 2009. Disponível em: . Acesso: Dez. 2011.

LORENZI, H.; MATOS, F. J. A. Plantas medicinais no Brasil: Nativas e Exóticas. Instituto Plantarum de Estudos da Flora, 2008.

MACIEL, M. A. M.; PINTO, A. C.; VEIGA, V. F. Jr. Plantas Medicinais: a necessidade de estudos multidisciplinares. Química Nova, v. 25, n. 3, p. 429-438, 2002.

MAGALHÃES, V. C.; SILVA, D. M.; SILVA, F.; ALMSSY JR., A. A.; MARTINS, M. L. L. e MACEDO, T. P. Levantamento Etnobotânico na Comunidade Rural Sapucaia em Santo Antônio de Jesus, Recôncavo da Bahia – BA. Revista Brasileira de Agroecologia, v. 4 n. 2, 2009.

MARTINS, A. G.; ROSÁRIO, D. L.; BARROS, M. N. e JARDIM, M. A. C. Levantamento etnobotânico de plantas medicinais, alimentares e tóxicas da Ilha do Combu, Município de Belém, Estado do Pará, Brasil. Revista Brasileira de Farmácia, v.86,n.1, p.21-30, 2005.

MEDEIROS, M. F. T.; FONSECA, V. S. e ANDREATA, R. H. P. Plantas medicinais e seus usos pelos sitiantes da Reserva Rio das Pedras, Mangaratiba, RJ, Brasil. Acta Botanica Brasilica, v.18, p.391-99, 2004.

MELO, J. G.; MARTINS, J. D. G.R.; AMORIM, E. L. C. e ALBUQUERQUE, U. P. Qualidade de produtos a base de plantas medicinais comercializados no Brasil: castanha-da-índia (Aesculus hippocastanum L.), capim-limão (Cymbopogon citratus (DC.) Stapf) e centela (Centella asiatica (L.) Urban. Acta Botanica Brasilica, v.21, n.1, p.27-36, 2007.

MILANI, J. F.; GUIDO, L. F. E. e BARBOSA, A. A. A. Educação ambiental a partir do resgate dos quintais e seu valor etnobotânico no Distrito Cruzeiro dos Peixotos, Uberlândia, MG. Revista Horizonte científico, v. 5, n.1, 2011.

MOURA, C. L. e ANDRADE, L. H. C. Etnobotânica em Quintais Urbanos Nordestinos: um Estudo no Bairro da Muribeca, Jaboatão dos Guararapes – PE. Revista Brasileira de Biociências, v.5, n.1, p.219-221, 2007.

PARENTE, C. E. T. e ROSA, M. M. T. Plantas comercializadas como medicinais no município da Barra do Piraí, RJ. Rodriguésia, v. 52, n. 80, p. 47-59, 2001.

PASA, M. C.; SOARES, J. J. e GUARIM NETO, G. Estudo etnobotânico na comunidade de Conceição-Açu (alto da bacia do rio Aricá Açu, MT, Brasil). Acta Botanica Brasilica, v.19, n.2, p.195-207, 2005.

PILLA, M. A. C., AMOROZO, M. C. M; FURLAN, A. Obtenção e uso das plantas medicinais no distrito de Martim Francisco, Município de Mogim Mirim, SP, Brasil. Acta Botanica Brasilica, v.20, n.4, p.789-802, 2006.

PINTO, E. P. P.; AMOROZO, M. C. M. e FURLAN, A. Conhecimento popular sobre plantas medicinais em comunidades rurais de mata atlântica – Itacaré, BA, Brasil. Acta Botanica Brasilica, v.20, n.4, p.751-762, 2006.

RAMOS, J. B. Plantas medicinais brasileiras e biopirataria: nossas riquezas em risco. Boletim Aqualung, n. 35, 2000.

REIS, R. R. A. Paulo Afonso e o Sertão Baiano: Sua geografia e seu povo, Fonte Viva, 2004.

RODRIGUES, A. C. C. e GUEDES, M. L. S. Utilização de plantas medicinais no Povoado Sapucaia, Cruz das Almas – Bahia. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v.8, n.2, p.1-7, 2006.

ROQUE, A. A.; ROCHA, R. M. e LOIOLA, M. I. B. Uso e diversidade de plantas medicinais da Caatinga na comunidade rural de Laginhas, município de Caicó, Rio Grande do Norte (nordeste do Brasil). Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v.12, n.1, p.31-42, 2010.

SILVA-ALMEIDA, M. F. e AMOROZO, M. C. M. Medicina popular No Distrito de Ferraz, Município de Rio Claro, Estado de São Paulo. Brazilian Journal of Ecology, v.2, n2, 1998.

SILVA, C. S. P. e PROENÇA, C. E. B. Uso e disponibilidade de recursos medicinais no município de

Ouro Verde de Goiás, GO, Brasil. Acta Botanica Brasilica, v.22, n.2, 481-492, 2008.

SILVA, T.S. e FREIRE, E.M.X. Abordagem etnobotânica sobre plantas medicinais citadas por populações do entorno de uma unidade de conservação da caatinga do Rio Grande do Norte, Brasil. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v.12, n.4, 2010.

SOUSA, C. G.; ARAÚJO, B. R. N. e SANTOS, A. T. P. Inventário Etnobotânico de Plantas Medicinais na Comunidade de Machadinho, Camaçari-BA. Revista Brasileira de Biociências, v. 5, n.1, p. 549-551, 2007.

SOUZA, C. D.e FELFILI, J. M. Uso de plantas medicinais na região de Alto Paraíso de Goiás, GO, Brasil. Acta Botanica Brasilica, v.20, n.1, p.135-142, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.