Diáspora, identidade e deslocamentos em Dany Laferriére

Karla Andrea Soares

Resumo


Resumo: Esse artigo propõe estudar como o sujeito da diáspora é visto na visão do colonizador no romance de Dany Laferrière Como fazer amor com um negro sem se cansar (1985). Usando de recortes teóricos do conceito de hibridização, desterritorialização, assim como dos estudos Pós-Coloniais fundamentados por Stuart Hall, Homi Bhabha, Bonnici e outros, sobre cultura, diáspora e identidade cultural. O estudo pretende compreender a representação da identidade do negro na diáspora, de suas manifestações culturais, da concepção de sujeito construída e assumida nesse processo diaspórico. Com isso esse sujeito estabelece uma hegemonia de valores que ele vai compartilhar com essa nova sociedade, estabelecendo parâmetros de interligações entre sua cultura e a do Outro, falando de um entre lugar que segundo Bhabha (1998) gera uma discussão sobre a identidade e o espaço de onde ele sujeito fala.

Palavras-chave: Diáspora. Identidade. Deslocamentos. Laferrière. Literatura haitiana.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Grau Zero - Revista de Crítica Cultural
(Organizada pelo PÓS-CRÍTICA)

Publicação Semestral

ISSN 2318-7085

 

INDEXADORES

 

 

 


FOMENTO/FINANCIAMENTO