Mídia e incêndios florestais na Chapada Diamantina

Diosvaldo Pereira Novais Filho, Gislene Moreira Gomes

Resumo


O estudo Mídia e incêndios florestais na Chapada Diamantina é o ponto de partida para discutir como os meios e a sociedade brasileira percebem e enfrentam os efeitos mais evidentes da crise ambiental contemporânea. A análise da cobertura midiática sobre o fogo que consumiu as unidades de conservação da Chapada Diamantina em 2015 foi construída a partir da classificação de 145 matérias publicadas em 13 veículos e do debate dos resultados com atores estratégicos locais. Desde a Economia Política da Comunicação, foi feita uma análise crítica sobre o papel do jornalismo ambiental na “ecotragédia” da Chapada Diamantina. A ideia é perceber os limites e possibilidades da comunicação ambiental, inserida nos modos de produção e consumo midiático, como alternativa à crise climática desde o olhar da periferia do capitalismo.


Palavras-chave


Jornalismo Ambiental; Análise de Mídia; Incêndios Florestais; Chapada Diamantina; Economia Política da Comunicação.

Texto completo:

PDF Remoto

Referências


BOAS, Sérgio Vilas. Formação & Informação Ambiental: Jornalismo para iniciados e leigos. Sao Paulo: Summus, 2004

BOLAÑO, César. Jornalismo online: reflexões a partir da economia política da comunicação, 2009.

BUENO, Wilson da Costa. Comunicação, jornalismo e meio ambiente: teoria e pesquisa. São Paulo: Mojoara Editorial, 2007.

____________________. Jornalismo Ambiental: explorando além do conceito. Revista Desenvolvimento e Meio Ambiente, n. 15, p. 33-44, jan./jun. 2007. Editora UFPR.

BERNA, Vilmar. 2010. Comunicação ambiental: reflexões e prática em educação ambiental. Paulus Editora. São Paulo.

CASTELLS, Manuel. O poder da identidade. Tradução Klauss B. Gerhardt. SP: Ed. Paz e Terra, 2001.

COLOMBO, Macri Elaine. Jornalismo Ambiental: a sua história e conceito no contexto social. Anais do XXXIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Caxias do Sul, 2010.

COX, Robert. Environmental communication and the public sphere. Thousands Oaks, California: Sage Publication, 2010.

FANTE, MASSIERER; MORAES, E MOTTER. A trajetória do Jornalismo e dos Jornalistas Ambientais no Brasil: O Núcleo de Ecojornalistas do RS. Anais do 10º Encontro de História da Mídia. Porto Alegre, 2015.

FERNÁNDEZ REYES, Rogelio. Aproximación a la bibliografía de periodismo ambiental iberoamericano. Razón y Palabra. Número 77. Ago-Out 2011. Disponível em: Acesso em: abr. 2015.

GIDDENS, Anthony. A política da mudança climática. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

HAGUENAUER e FILHO. Experiências em Educação e Comunicação ambiental. 2014. São Paulo: Editora CRV.

IBAMA/ Prevfogo. Relatório de Ocorrências de Incêndios em Unidades de Conservação Federais 2005 – 2008. Brasília: Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), 2009.

IBAMA/ Prevfogo. Perfil dos Incêndios Florestais Acompanhados pelo Ibama 2009, Brasília: Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), 2010. Disponível para download em http://www.ibama.gov.br/phocadownload/category/44-p?download=2306%3A2009

ICMBio. Histórico dos Incêndios na Vegetação do Parque Nacional da Chapada Diamantina, entre 1973 e abril de 2010, com base em Imagens Landsat. Brasília: Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (IcmBio), 2010 http://www.icmbio.gov.br/revistaeletronica/index.php/BioBR/article/viewFile/141/105

LEFF, Enrique. Epistemologia Ambiental. Multidisciplinaridade. São Paulo: Cortez, 2001.

___________ . Racionalidade ambiental e reapropriação social da natureza. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

LIMA, M. D. V et al. Os dilemas da comunicação ambiental no contexto do desenvolvimento hegemônico. Revista CMC comunicação mídia e consumo. Do ppgcom – espm, ano 11 vol. 11 n. 32 p. 203-221 set./dez. 2014. Disponível em http://revistacmc.espm.br/index.php/revistacmc/article/view/703/pdf_32.

LIMA, M. D. V. et al. A comunicação ambiental como forma de enfrentamento dos dilemas socioambientais. 2o Encontro Interdisciplinar de Comunicação Ambiental (EICA), 2013, Sergipe. Anais... Aracaju: Universidade Federal de Sergipe, p. 1-13.

LOOSE, Eloisa. Jornalismo ambiental em revista: das estratégias aos sentidos. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Informação). Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2010.

_____. Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul: 21 anos pela qualificação da informação ambiental. Ação Midiática - Estudos em Comunicação, Sociedade e Cultura. Universidade Federal do Paraná. Programa de Pós Graduação em Comunicação. Vol 1. Nº 2. Ano 2011.

NELSON, Peter. 10 Dicas Práticas para Reportagem sobre o Meio ambiente. WWWF Brasil, 1994.

PORTO-GONÇALVES, Carlos Walter. A Globalização da Natureza e a Natureza da Globalização. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

PLOMWOOD, Val. Environmental Culture: The Ecological Crisis of Reason. New York: Routledge, 2002.

SERRES, Michel. O contrato natural. Portugal: Editora Piaget, 1994.

SCHIRLEY, Luft. Jornalismo, Meio Ambiente e Amazônia: os desmatamentos nos jornais. O Liberal do Pará e Crítica do Amazonas, 1ed.SL: Annablume, 2005.

SORDI, Jaqueline Orgler. Os sentidos do verde nas páginas de Zero Hora. Programa de PósGraduação em Comunicação e Informação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre – RS, 2012. Disponível em https://anaisenpja.files.wordpress.com/2014/12/cl_22_jaqueline_sordi.pdf

UNGARETTI, Wladymir Netto. Empresariado e ambientalismo: uma análise de conteúdo da Gazeta mercantil. 1995.

UNGER, Nancy Mangabeira. Heidegger: “salvar é deixar-ser”. Em Moura, Grün e Trajber (orgs). Pensar o Ambiente: bases filosóficas para a Educação Ambiental. - Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, UNESCO, 2007.

UNESCO. Informe mundial sobre ciencias sociales 2013: cambios ambientales globales. Unesco, 2013.

VILLAR, Roberto. Jornalismo ambiental: evolução e perspectiva. Porto Alegre: Agir Azul na Rede, 1997. Disponível em Disponível em:< www.agirazul.com.br/artigos/jorental.htm>. Acesso em: 06 jan. 2015.

TRIGUEIRO, André. Mundo Sustentável: abrindo espaço na mídia para um planeta em transformação. São Paulo: Globo, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Universidade do Estado da Bahia - UNEB - Departamento de Ciências Humanas e Tecnologias - Campus XXIII
Rua Padre Justiniano Costa, s/n, Boa Vista- 46.990-000, Seabra - Bahia - Brasil