PESSOAS, SANTOS E FÉ: CELEBRANDO SÃO SEBASTIÃO NO JIRO DO REIS DO MULUNGU DE BONINAL

Maria Eunice Rosa Jesus

Resumo


O interesse em estudar a religiosidade popular na comunidade negra rural do Mulungu e as práticas de sociabilidade desenvolvidas pelas mulheres para a manutenção e afirmação das suas festividades se explica por esse tema se constituir em um campo rico para a compreensão dos diferentes lugares de saber e de produção de identidades. O principal objetivo é compreender em que medida as redes de sociabilidade construídas no cotidiano da comunidade são responsáveis pela manutenção e preservação de duas festas religiosas do Mulungu. A pesquisa etnográfica é a nossa escolha metodológica, uma vez que parece ser o caminho que melhor traduz  a rotina diária e os eventos especiais que nos levam a uma compreensão das redes de significações do real entre as manifestações culturais, as festividades, as crenças, os modos de viver, o perceber e o imaginar que são partilhados pelo indivíduo e com seu grupo social.

Palavras-chave: Comunidade negra rural. Cotidiano. Festividades. 


Texto completo:

PDF Remoto

Referências


BRANDÃO, Carlos. O que é folclore. São Paulo: Brasiliense, 1986.

BRANTES, Eloísa. A Espetacularidade da Performance Ritual no Reisado do Mulungu (Chapada Diamantina – Bahia). Religião e Sociedade. Rio de Janeiro, v.27, n.1, p.24-47. janeiro/julho, 2007.

CARNEIRO, Edison. Dinâmica do Folclore. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira,1965.

DEL PRIORE, Mary. Festas e Utopias no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 2000.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das Culturas. Rio de Janeiro: LTC, 2012.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em:

MENDES, Eloísa Brantes. Do canto do corpo aos cantos da casa: performance e

espetacularidade através do Reisado do Mulungu. Tese (Doutorado em Artes Cênicas). Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas, Universidade Federal da Bahia: Salvador, 2005.

PESSOA DE CASTRO. Falares africanos na Bahia: Um Vocabulário Afro-Brasileiro. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras/ Topbooks Editora, 2001.

REQUENA SANTOS, Félix. Amigos y Redes Sociales: elementos para una sociología de la amistad. Madri: Siglo XXI de España Edutores, 1994.

SIMMEL, G. Sociologia. MORAES FILHO, Evaristo (Org). Grandes Cientistas Sociais. São Paulo: Ática, 1983.

TINHORÃO. José Ramos. As Festas no Brasil Colonial. São Paulo: Editora 34, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Universidade do Estado da Bahia - UNEB - Departamento de Ciências Humanas e Tecnologias - Campus XXIII
Rua Padre Justiniano Costa, s/n, Boa Vista- 46.990-000, Seabra - Bahia - Brasil