ANÁLISE DO DESEMPENHO CONTÁBIL-FINANCEIRO DAS EMPRESAS FAMILIARES E NÃO FAMILIARES

Luís Antônio Gióia Ettore, Vinicius Mothé Maia

Resumo


Esta pesquisa teve como objetivo averiguar se há diferenças entre as empresas familiares e não familiares e quais seriam essas diferenças do ponto de vista contábil-financeiro. Neste intuito, foram comparadas as empresas listadas no Ibovespa nos anos de 2010 até 2016, sendo as empresas identificadas como familiares classificadas em termos de: gestão, controle e propriedade. Para isso, realizou-se uma análise descritiva de indicadores contábil-financeiros apoiada em uma análise de variância paramétrica e não paramétrica. Os resultados sugerem que, quando existem diferenças significativas entre os grupos, as empresas não familiares são preferíveis às empresas familiares do ponto de vista dos indicadores analisados, por serem melhores opções de investimentos aos agentes de mercado.


Palavras-chave


Empresas Familiares, Desempenho, Análise Contábil-Financeira, Conflito de Agência.

Texto completo:

PDF

Referências


ALI, A.; CHEN, T-Y.; RADHAKRISHNAN, S. Corporate disclosures by family firms. Journal of Accounting and Economics, v. 44, n.1-2, p. 238-286, 2007.

AN, Y.; NAUGHTON, T. The impact of family ownership on firm value and earning quality: Evidence from Korea. Anais… European Financial Management Association Conference, Milan, Italy, p. 1-29, 2009.

ANDERSON, C.; REEB, D. M. Founding family ownership and firm performance: evidence from the S&P 500. The Journal of Finance, v. 58, n. 3, p. 1301-1328, 2003.

ANDRADE, M. M. Como preparar trabalhos para cursos de Pós-Graduação: noções práticas. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2004.

ASSAF NETO, A. Valuation: Métricas de Valor e avaliação de empresas. 1ª ed. São Paulo: Atlas, 2014.

BERNHOEFT, R. Empresa familiar: sucessão profissionalizada ou sobrevivência comprometida. 2 ed. São Paulo: Nobel, 1991.

BIANCHET, T. D. S. A.; ZANIN, A.; MAZZIONI, S.; MOURA, G. D. Diferenças no valor adicionado em empresas familiares e não familiares listadas na BM&FBovespa. Enfoque, v. 38, n. 1, p. 85, 2019.

BLOOMBERG. Bloomberg. Disponível em: . Acessado 20/07/2017.

CAMARGOS, M. A.; BARBOSA, F. D. Análise do desempenho econômico-financeiro e da criação de sinergias em processos de fusão e aquisição do mercado brasileiro ocorrido entre 1995 e 1999. Caderno de Pesquisas em Administração, v. 12, n. 2, p. 99-115,2005.

CASCINO, S.; PUGLIESE, A.; MUSSOLINO, D.; SANSONE, C. The Influence of Family Ownership on the Quality of Accounting Information. Family Business Review, v. 23, n. 3, p. 246-265, 2010.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS. CPC 18 (R2): investimento em coligada e em empreendimento controlado em conjunto. 2012. Disponível em: < http://static.cpc.mediagroup.com.br/Documentos/263_CPC_18_(R2)_rev%2008.pdf>. Acessado em: 05/05/2017.

GOES, T. H. M.; MARTINS, H. H.; MACHADO FILHO, C. A. P. Desempenho financeiro de empresas com características familiares: análise de empresas brasileiras listadas na BM&F. REGE-Revista de Gestão, v. 24, n. 3, p. 197-209, 2017.

GUJARATI, D. Econometria Básica. Rio de Janeiro: Campus/Elsevier, 2006.

KREUZBERG, F; CUNHA, P. R.;POPIK, F. Relação dos Dividendos, Dívida e Conselho de Administração com o Desempenho: Um Comparativo entre Empresas Familiares e não Familiares. Revista Ambiente Contábil, v. 8, n. 1, p. 34-59, 2016.

LAKATOS, E. M.;MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

LEMMON, M. L.; LINS K. V.. Ownership Structure, Corporate Governance, and Firm Value: Evidence from the East Asian Financial Crisis. The Journal of Finances, v. 53, n. 4, p. 1445-1468, 2003.

LODI, J. B. A Empresa familiar. São Paulo: Pioneira,1998.

LUNARDI, M. A.; BARBOSA, E. T.; RODRIGUES JUNIOR, M. M.; SILVA, T. P.; NAKAMURA, W. T. Criação de valor no desempenho econômico de empresas familiares e não familiares brasileiras. Revista Evidenciação Contábil & Finanças, v. 5, n. 1, p. 94-112, 2017.

POLITELO. L.; CUNHA, P. R. Estrutura de propriedade como dimensão da governança corporativa e sua relação com o desempenho das empresas familiares. Anais... Congresso USP de Contabilidade e Controladoria, São Paulo, USP, 2014.

PROCIANOY, J. L.; CASELANY, C. N. (Emissão de ações como fonte de crescimento ou como fonte de redução do risco financeiro: resultados empíricos. Revista de Administração, v. 32, n. 3, p. 70-81, 1997.

SANTOS, T. R.; SILVA, J. O. A influência da família tem algum efeito? Análise da remuneração dos executivos das empresas familiares e não familiares. Revista de Contabilidade e Organizações, v. 12, p. e148149-e148149, 2018.

SCARPIN, J. E.; ALMEIDA, D. M.; MACHADO, D. G. Endividamento e Lucratividade: Um Estudo em Empresas Familiares e não Familiares que compõem o Índice Ibrx-100 da Bm&Fbovespa. Revista Ambiente Contábil, v. 4, n. 2, p. 93-109, 2012.

SCHULZE, W. S.; LUBATKIN, M. H.; DINO, R. N.; BUCHHOLTZ, A. K. Agency relationships in family firms: theory and evidence. Organization Science, v. 12, n. 2, p. 99-116, 2001.

SETIA-ATMAJA, L. Y.;TANEWSKI, G.; SKULLY, M. T. The role of dividends, debt and board structure in the governance of Family controlled firms. Journal of Business Finance and Accounting, v. 36, n. 7, p. 863-898, 2009

SILVA, G. E.; OLIVEIRA, G. J.; MACEDO, M. A. S.; MARQUES, J. A. V. C. Análise do Impacto do Controle Familiar Sobre a Qualidade das Informações Contábeis no Brasil: um Estudo com Foco na Análise de Relevância do Lucro. Revista de Finanças Aplicadas, v. 4, p. 1-30, 2015.

SOARES, E. Metodologia Científica: Lógica, epistemologia e normas. São Paulo: Atlas, 2003.

STEVENSON, W. J. Estatística aplicada à administração. 1 ed, São Paulo: Harbra, 2001.

UPTON, N.; TEAL, E. J.; FELAN, J. T. Strategic and business planning practices of fast growth family firms. Journal of Small Business Management, v. 39, n. 1, p. 60-72, 2001.

VILLALONGA, B.;R. AMIT. How Do Family Ownership, Control, and Management, Affect Firm Value? Journal of Financial Economics, v. 80, n. 2, p. 385–417, 2006.

WANG, D. Founding family ownership and earnings quality. Journal of Accounting Research, v. 44, n. 3, p. 619-656, 2006.

ZBOROWSKI, I. B. Empresas Familiares no Índice Bovespa. 67 fl. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, Instituto COPPEAD de Administração, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.18028/rgfc.v8i1.5623

Apontamentos

  • Não há apontamentos.