USO DO FLUXO DE CAIXA E SUA RELAÇÃO COM AS DIFICULDADES DE PERMANECER NO MERCADO DE PET SHOPS

Suzete Antonieta Lizote, Izabela Floriani, Izabela Maria de Azevedo, Ketlyn Giliane Schluter Tavares, Sueli Hermes

Resumo


O uso do fluxo de caixa permite avaliar se a entidade é autossuficiente no financiamento do seu giro, bem como prever sua capacidade de crescimento com recursos próprios.  Este estudo tem como objetivo analisar a relação entre o uso do fluxo de caixa com a percepção das dificuldades de permanecer no mercado de pet shops de Itajaí e Balneário Camboriú/SC. Metodologicamente considera-se uma pesquisa quantitativa, descritiva e do tipo levantamento. A população foi composta por 44 empresas do referido ramo, resultando em uma amostra de 26 respondentes. O instrumento de coleta foi composto por 18 questões fechadas, divididas em três categorias: perfil das empresas e dos respondentes; uso do fluxo de caixa e dificuldades de permanência no mercado. Os resultados apontaram que, das dificuldades de permanência no mercado, destacaram-se a falta de capital de giro e o planejamento tributário. A correlação possibilitou perceber a conexão entre o uso efetivo do fluxo de caixa e uma maior expressividade no fator inadimplência como dificuldade de mercado, além de a falta de capital de giro estar relacionada aos problemas de pagamento a fornecedores.


Palavras-chave


Fluxo de Caixa. Mercado. Pet Shop.

Texto completo:

ARTIGO

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE PRODUTOS PARA ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO. Faturamento do setor, 2015. Disponível em: < http://abinpet.org.br/site/faturamento-do-setor-crescera-74-e-fechara-em-r-179-bilhoes-em-2015 Acesso: em 03 mar 2016.

BRASIL. Lei complementar 123, 14 de Dezembro de 2006. Institui o Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LCP/Lcp123.htm Acesso em 26 ago 2015.

BRIGHAM, E. Fundamentos da moderna administração financeira. São Paulo: Campos, 1999.

CATELLI, A. Controladoria: uma abordagem da gestão econômica – GECON. São Paulo: Atlas, 1999.

COSTA, L. L. da; COSTA, L. L. da; SANTOS, C. B. dos. Planejamento financeiro para as micros e pequenas empresas optantes do Simples Nacional. Estudos, v. 42, n. 2, p. 161-173, 2015. Disponível em http://revistas.pucgoias.edu.br/index.php/estudos/article/viewFile/4014/231 Acesso: em 12 ago, 2015.

DOLABELA, F. O segredo de Luísa. 30. ed. rev e atual – São Paulo: Cultura, 2006.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GITMAN, L. J. Princípios da administração financeira. 12. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010.

GRECO, A.; GÄRTNER, G. e AREND, L. Contabilidade: teoria e práticas básicas. 2. ed. rev. e atual. São Paulo: Saraiva, 2009.

GOLDRATT, E. M., COX, J. A meta. São Paulo: Imam, 1990.

HOJI, M. Administração financeira na prática: guia para educação financeira corporativa e gestão financeira pessoal. São Paulo: Atlas, 2007.

IBGE. Produto interno bruto dos municípios 2012. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/pibmunicipios/2012 Acesso em 23 ago. de 2015.

IBPT. Quantidade de normas editadas no Brasil, 2013. Disponível em: < http://www.ibpt.com.br/noticia/1272/Quantidade-de-Normas-Editadas-no-Brasil Acesso em 26 mar. 2016.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

MARTINS, G. de A.; THEÓPHILO, C. R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MONTOTO, E. Contabilidade geral esquematizado. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

NAKAGAWA, M. Introdução à controladoria: conceitos, sistemas, implementação. São Paulo: Atlas, 1998.

NETO, A. A. Administração de capital de giro. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2010

NETO, A. A.; SILVA, C. A. T. Administração do capital de giro. São Paulo: Atlas, 1995.

ROSS, S. A.; WESTERFIELD, R. W.; JAFFE, J. F. Administração financeira. São Paulo: Atlas, 2002.

SANTOS, E. O. dos. Administração financeira da pequena e média empresa. São Paulo: Atlas, 2001.

SANTOS, F. de A.; VEIGA, W. E. Contabilidade: com ênfase em micro, pequenas e médias empresas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2014.

SEBRAE. Controles financeiros são essenciais para a gestão do capital de giro. 2015. Disponível em: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/Controles-financeiros-s%C3%A3o-essenciais-para-a-gest%C3%A3o-do-capital-de-giro Acesso em: 12 ago de 2015.

SEBRAE. Pequenos negócios em números. 2015. Disponível em: http://www.sebraesp.com.br/index.php/234-uncategorised/institucional/pesquisas-sobre-micro-e-pequenas-empresas-paulistas/micro-e-pequenas-empresas-em-numeros Acesso em: 15 ago 2015.

SEBRAE. Pesquisa de mortalidade, 2014. Disponível em:< http://www.sebraesp.com.br/arquivos_site/biblioteca/EstudosPesquisas/mortalidade/causa_mortis_2014.pdf . Acesso em: 26 mar. 2016.

SEBRAE. Micro e pequenas empresas geram 27% do PIB do Brasil. 2015. Disponível em: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ufs/mt/noticias/Micro-e-pequenas-empresas-geram-27%25-do-PIB-do-Brasil Acesso em: 09 ago 2015.

SILVA, J. P. da. Análise financeira das empresas. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

VICECONTI, P.; NEVES, S. das. Contabilidade básica. 16 ed. São Paulo: Saraiva, 2013.

ZDANOWICZ, J. E. Fluxo de caixa: uma decisão de planejamento e controle financeiros. 10. ed. Porto Alegre: Sagra Luzzatto, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.