A COMPREENSÃO LEITORA E O PROCESSO INFERENCIAL EM TURMAS DO NONO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Francisco Jailson Dantas de Oliveira, Maria Inez Matoso Silveira

Resumo


Os baixos níveis de compreensão leitora entre estudantes da escola básica no Brasil, principalmente em Alagoas, tão divulgados pelos meios de comunicação, demandam
da academia pesquisas que se ocupem do problema. Diante disso, este trabalho, situado na área de Leitura e Cognição, objetivou verificar a compreensão de textos e o uso do processo inferencial entre estudantes do nono ano do ensino fundamental, em três escolas públicas e três escolas particulares de Maceió-AL, durante o 2º semestre de 2012. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, interpretativa, com aporte
quantitativo, fundamentada na abordagem cognitiva da leitura, que considera a importância do conhecimento prévio como essencial para o processo inferencial e, consequentemente, para a compreensão da leitura. Os instrumentos de pesquisa
utilizados foram um questionário perfil do estudante, um teste de compreensão com questões de múltipla escolha, um questionário pós-teste e um teste cloze. Após a análise
dos dados, concluímos que, dos 67 estudantes colaboradores das escolas públicas, 56 (83%) apresentaram déficit na compreensão leitora; por sua vez, dos 111 estudantes
colaboradores  das  escolas  particulares,  38  (34%)  apresentaram  tal  deficiência, principalmente em questões que demandavam ativação do conhecimento prévio para consolidar as estratégias inferenciais, essenciais à leitura fluente e produtiva.

Palavras-chave


Compreensão leitora; Aspectos sociocognitivos da leitura; Testes de avaliação de leitura;Processo inferencial na leitura.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRÉ, Marli E. D. A.; LÜDKE, Menga. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

(Temas básicos de educação e ensino).

BORBA, Valquíria Claudete Machado. Predibilidade de conjugações e compreensão leitora: um estudo com crianças de 4ª série do ensino fundamental. In: BORBA, Valquíria Claudete Machado; GUARESI, Ronei (Org.). Leitura: processos, estratégias e relações. Maceió: EDUFAL, 2007. p. 8-43.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP).

Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB)/Prova Brasil 2011 - Primeiros resultados. Disponível em:

. Acesso em: set. 2013.

COSCARELLI, Carla Viana. Reflexões sobre as inferências. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE LINGUÍSTICA

APLICADA, 6., 2002, Belo Horizonte. Anais. Belo Horizonte: UFMG, 2002. 1 CD-ROM.

______. Inferência: afinal o que é isso? Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2003.

FIORI, Nicole. As neurociências cognitivas. Trad. Sonia M. S. Fuhrmann. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

GOODMAN, Keneth. O processo da leitura – considerações a respeito das línguas e do desenvolvimento. In: FER-REIRO, E.; PALÁCIO, M. Os processos de leitura e escrita – novas perspectivas. Porto Alegre: Artes Médicas,

p. 11-22.

______. Reading: a psycholinguistic guessing game. In: In: SINGER, H.; RUDDEL, R. Theorical models and

processes of reading. Newark (DEL): International Reading Association (IRA), 1976. p. 497-508.

GOUGH, Philip B. One second of reanding. In: SINGER, H.; RUDDEL, R. Teorical models and processes of reading. Newark (DEL): International Reading Association (IRA), 1976. p. 509-535.

IZQUIERDO, Ivan. Memórias. Estudos avançados, São Paulo, v. 3, nº 6, p. 89-112, maio/ago. 1989. Disponível

em: . Acesso em: 09 dez. 2012.

______. Questões sobre memória. São Leopoldo, RS: Editora Unisinos, 2003.

KATO, Mary A. O aprendizado da leitura. São Paulo: Martins Fontes, 1990.

KOCH, Ingedore Villaça; ELIAS, Vanda Maria. Ler e compreender os sentidos do texto. São Paulo: Contexto, 2006.

KLEIMAN, Angela. Texto e leitor: aspectos cognitivos da leitura. 2. ed. Campinas, SP: Pontes, 1992.

______. Leitura: ensino e pesquisa. Campinas, SP: Pontes, 1989.

______. Oficina de leitura: teoria e prática. 9. ed. Campinas, SP: Pontes, 2002.

LEFFA, Vilson José. Aspectos da leitura: uma perspectiva psicolinguística. Porto Alegre: Sagra DC Luzzatto, 1996a.

______. Fatores da compreensão na leitura. Cadernos do IL, Porto Alegre, v. 15, n. 15, p. 143-159, 1996b. Disponível em: . Acesso em: 09 dez. 2012.

MACHADO, Marco Antônio Rosa. O papel do processo inferencial na compreensão de textos escritos. 2005.

Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade de Campinas, Campinas, 2005.

______. Compreensão de leitura: o papel do processo inferencial. Anápolis, GO: Editora da Universidade Estadual

de Goiás, 2010. (Coleção Olhares)MARCUSCHI, Luiz Antônio. Leitura como processo inferencial num universo cultural cognitivo. In: Leitura: Teoria e Prática, Porto Alegre, v. 4, p. 1-14, 1985.

______. Compreensão de texto: algumas reflexões. In: DIONISIO, Angela Paiva; BEZERRA, Maria Auxiliadora

(Org.). Livro didático de português: múltiplos olhares. 3. ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005. p. 48-61.

______. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. 2. ed. São Paulo: Parábola, 2008.

______. Compreensão textual como trabalho criativo. Unesp, 2007. Disponível em:

tstream/123456789/40358/3/01d17t07.pdf>. Acesso em: 25 jan. 2013.

OLIVEIRA, Almir Almeida de. Observação e entrevista em pesquisa qualitativa. Revista FACEVV, Vila Velha, ES, n. 4, p. 22-27, jan./jun. 2010.

PEREIRA, Vera Wannmacher. Predição leitora e inferência. In: CAMPOS, Jorge (Org.). Inferências linguísticas

nas interfaces. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2009. p. 10-22.

RETORTA, Miriam Sester. Multiple-choice and clozeprocedures in reading tests: what do they really measure? The ESP, São Paulo, v. 22, n. 2, p. 127-154, 1995. Disponível em:

CCsQFjAA&url=http%3A%2F%2Frevistas.pucsp.br%2Findex.php%2Fesp%2Farticle%2Fdownload%2F9393%2F6966&ei=X-6UUY5HherQAbSYgOgJ&usg=AFQjCNHP8qRmCFpvSNHNkeIyqK8vO_1MAg&sig2=8FRU3uikL6U2Il6MJ2NFg>. Acesso em: 15 maio 2013.

RIBEIRO, Ariella Fornachari. A utilização de inferências visuais na elaboração do discurso oral de indivíduos

normais e indivíduos com lesão de hemisfério direito. 2011, 165 f. Tese (Doutorado em Ciências) – Faculdade

de Medicina da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

RODRÍGUEZ, Virginia Jiménez. Metacognición y comprensión de la lectura: evaluación de los componentes

estratégicos (procesos y variables) mediante la elaboración de una escala de conciencia lectora (ESCOLA). 2004.

f. Tese (Doutorado em Psicologia) – Universidad Complutense de Madrid, Madrid, 2004.

RUMELHART, David E.; ORTONY, Andrew. The representation of knowledge in memory. In: ANDERSEN, Richard. et al. (Ed.). Schooling and the acquisition of knowledge. Hilsdale, NJ: Lawrence Erlbaum Associates, 1977.

SANTOS, Acácia Aparecida Angeli dos; BORUCHOVITCH, Evely; OLIVEIRA, Katya Luciane de (Org.). Cloze:

um instrumento de diagnóstico e intervenção. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2009.

SANTOS, Acácia Aparecida Angeli dos. Et al. O teste de Clozena avaliação da compreensão em leitura. Psicologia:

Reflexão e Crítica, São Paulo, v. 15, n. 3, p. 549-560, 2002. Disponível em:

a09v15n3.pdf>. Acesso em: 15 maio 2013.

SANTOS, Márcia Regina Mendes. O estudo das inferências na compreensão do texto escrito. 2008. 151 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Lisboa, 2008.

SILVEIRA, Maria Inez Matoso. Modelos teóricos e estratégicos de leitura: suas implicações no ensino. Maceió: EDUFAL, 2005.

SMITH, Frank. Compreendendo a leitura: uma análise psicolinguística da leitura e do aprender a ler. Porto Alegre:

Artes Médicas, 1989.

TOMITCH, Lêda Maria Braga (Org.). Aspectos cognitivos e instrucionais da leitura. Bauru, SP: EDUSC, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2014.v23.n41.p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2358-0194

 Classificação Qualis CAPES:

 Educação - A2

  Indexadores:

       

      

   

      

 

  Localização dos Acessos:


 

 Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0