A convivência na escola e o bullying entre estudantes nos ensinos fundamental II e médio

Carmen Lúcia Dias, Terezinha Ferreira da Silva Colombo, Alessandra de Morais

Resumo


Este artigo teve como objetivo analisar as percepções de estudantes de uma escola particular de Educação Básica sobre o maltrato entre iguais, no que se refere à sua incidência e características, e oferecer dados prévios de diagnóstico para que possam ser planejados programas de intervenção voltados para a prevenção e erradicação do bullying no ambiente educativo. Participaram da pesquisa 508 estudantes, 309 do Ensino Fundamental II e 199 do Ensino Médio, os quais responderam a um questionário que avalia o tipo de bullying presente na comunidade educativa. Os resultados sinalizam que há indícios de situações de maus-tratos na escola pesquisada, sendo considerável o número daqueles que passam por esse tipo de situação seja como alvo, agente ou telespectador. Sobre a quem pedem ajuda quando se sentem vitimizados, observa-se que recorrem mais à família e aos colegas, vários não falam nada a ninguém e por último pedem ajuda aos professores, apesar de os indicarem como aqueles queprincipalmente deveriam fazer algo para solucionar esse problema. A escola precisa reconhecer a existência do fenômeno para que esteja consciente de seus prejuízos para a personalidade e desenvolvimento socioeducacional dos estudantes. Também é necessário instrumentalizar seus profissionais para observação, identificação, diagnóstico, intervenção e encaminhamentos assertivos.


Palavras-chave


Bullying. Diagnóstico. Convivência escolar. Ensinos Fundamental II e Médio.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2017.v26.n49.p187-206

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2358-0194

 Classificação Qualis CAPES:

 Educação - A2

  Indexadores:

       

      

   

      

 

  Localização dos Acessos:


 

 Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0