EDUCAÇÃO DO CAMPO: CONTRIBUIÇÕES PARA O ESTADO DA ARTE DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA (2007-2015)

Taisa Grasiela Gomes Liduenha Gonçalves, Maria Cristina Piumbato Innocentini Hayashi

Resumo


Orientada pela tríade “campo, educação e políticas públicas”, a Educação do Campo é um fenômeno concreto recente da realidade brasileira. Este artigo analisa a produção científica sobre o tema da Educação do Campo presente na agenda de pesquisas acadêmicas consolidada em artigos científicos disponíveis nas bibliotecas eletrônicas SciELO e Educ@. Do ponto de vista metodológico, o estudo está ancorado na abordagem bibliométrica e na análise de conteúdo dos artigos. Os resultados obtidos mostraram que a literatura científica publicada abrange o período entre 2007 e 2015, e que os principais temas tratados nos artigos são: políticas públicas, formação de educadores de campo, multisseriação, história da educação do campo, currículo, desenvolvimento, ensino de ciências, movimentos sociais e juventude, e trabalho e educação.


Palavras-chave


Educação do Campo. Estado da arte. Produção científica. Bibliometria

Texto completo:

PDF

Referências


ANTONIO, C. A.; LUCINI, M. Ensinar e aprender na educação do campo: processos históricos e pedagógicos em relação. Cadernos CEDES, Campinas, v. 27, n. 72, p. 177-19, ago. 2007.

ARROYO, M. G. Diversidade. In: CALDART, R. S. et al (Org.). Dicionário da Educação do Campo. São Paulo: Expressão Popular, 2012a. p. 231-238.

______. Formação de educadores do campo. In: CALDART, R. S. et al (Org.). Dicionário da Educação do Campo. São Paulo: Expressão Popular, 2012b. p. 361-367.

BEZERRA, M. C. S.; BEZERRA NETO, L.; LIMA, E. N. Programa Escola Ativa: de que educação para o trabalhador do campo estamos falando? In: BEZERRA NETO, L.; BEZERRA, M. C. S. (Org.). Educação para o campo

em discussão: subsídios para o Programa Escola Ativa. São José: Premier, 2011. p. 19-42.

BEZERRA NETO, L.; BEZERRA, M. C. S. Educação do Campo: referenciais teóricos em discussão. In: BEZERRA NETO, L.; BEZERRA, M. C. S. (Org.). Educação para o campo em discussão: subsídios para o Programa Escola

Ativa. São José: Premier, 2011. p. 101-120.

BITTAR, M.; SILVA, M. R.; HAYASHI, M. C. P. I. Produção científica em dois periódicos da área de educação. Avaliação(Unicamp), Campinas, v. 16, p. 193-213, 2011.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Agrário. Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária - PRONERA: manual de operações. Brasília, DF, 2004.

______. Decreto nº 7.352, de 4 de novembro de 2010. Dispõe sobre a política de educação do campo e o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária -PRONERA. Brasília, DF, 2010. Disponível em:

www.planalto.gov.br>. Acesso em: 07 abr. 2013.

CALDART, R. S. Educação do campo. In: CALDART, R. S. et al (Org.). Dicionário da Educação do Campo. São Paulo: Expressão Popular, 2012. p. 259- 267.

CALDART, R. S. et al (Org.). Dicionário da Educação do Campo. São Paulo: Expressão Popular, 2012.

CASAGRANDE, N. A questão agrária e a formação do educador do campo no século XXI: as contribuições da Pedagogia da Terra. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 8, n. 25, p. 765-785, dez. 2008.

CAVALCANTE, L. O. H. Das políticas ao cotidiano: entraves e possibilidades para a educação do campo alcançar as escolas no rural. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v. 18, n. 68, p. 549-564, set. 2010.

CÊA, G. S. dos S.; SILVA, C. F. da; SILVA, E. J. da. Educação do campo e desenvolvimento econômico em Alagoas: problematizando a escassa pesquisa e mapeando a situação. Revista de Educação Pública, Cuiabá, v. 23, n. 53, p. 595-613, ago. 2014. Suplemento 2.

CORREIA, R. A. C.; ROCHA, S. A. da. Formar-se professora para a educação do/no campo: percepções de licenciandas do campo em memoriais de formação. Revista de Educação, Campinas, v. 18, n. 3, p. 355-366, dez. 2013.

CREPALDE, R. dos S.; AGUIAR JÚNIOR, O. G. de. Abordagem intercultural na educação em ciências: da energia pensada à energia vivida. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 30, n. 3, p. 43-61, set. 2014.

CRUZ, J. Z. da S.; SZYMANSKI, M. L. S. O ensino da matemática nas escolas do campo por meio da metodologia

da mediação dialética. Práxis Educativa, Ponta Grossa, PR, v. 7, n. 2, p. 445-465, dez. 2012.

CURY, C. R. J. Políticas inclusivas e compensatórias na educação básica. Cadernos de Pesquisa(Fundação Carlos Chagas), São Paulo, v. 35, p. 11-32, 2005.

D’AGOSTINI, A. A educação do campo na educação brasileira: contradições e perspectivas. Educação, Santa Maria, RS, v. 37, n. 3, p. 453-467, dez. 2012.

D’AGOSTINI, A.; TAFFAREL, C. Z.; SANTOS JÚNIOR, C. L. Escola Ativa. In: CALDART, R. S. et al (Org.). Dicionário da Educação do Campo. São Paulo: Expressão Popular, 2012. p. 315-326.

EDUC@. Publicações online de Educação. Disponível em: . Acesso em: 20 mai. 2015.

FERNANDES, B. M. Brasil: 500 anos de luta pela terra. Cultura Vozes, v. 93, n. 2, p. 1- 12, 1999.

GEHRKE, M. Formação de infâncias ledoras-escrevedoras: desafios da Escola do Campo. Educação, Santa Maria, RS, v. 34, n. 1, p. 195-218, abr. 2009.

GONÇALVES, M. A.; SILVA, M. A. da. Trabalho e educação: o ensino profissional e o desenvolvimento rural. Roteiro (UNOESC), Videira, SC, v. 36, n. 2, p. 347-362, jul. 2011.

GUHUR, D. M. P.; SILVA, I. M. de S. Educação do campo: primeiras aproximações. Roteiro(UNOESC), Videira,

SC, v. 34, n. 2, p. 129-144, dez. 2009.

HAGE, S. A. M. Transgressão do Paradigma da (Multi)Seriação como referência para a construção da Escola Pública do Campo. Educação e Sociedade, Campinas, SP, v. 35, n. 129, p. 1165-1182, dez. 2014.

HAGE, S. M.; OLIVEIRA, L. M. M. de. Território, políticas públicas e educação do campo na Amazônia Paraense: o protagonismo dos movimentos sociais em debate. Revista de Educação Pública, Cuiabá, v. 20, n. 42, p. 91-107, jan. 2011.

HAYASHI, M. C. P. I. et al. Protocolo para coleta de dados bibliométricos em bases de dados, 2011. Mimeografado.

HIDALGO, A. M. Projetos educativos para as populações do campo nos anos de 1950 e ProJovem Campo - Saberes da Terra: desenvolvimentismo e proposições dos organismos internacionais. Revista Brasileira de História da Educação, Maringá, PR, v. 12, n. 2, p. 239-266, maio 2012.

JESUS, S. M. S. A. de. Educação do campo nos governos FHC e Lula da Silva: potencialidades e limites de acesso à educação no contexto do projeto neoliberal. Educar em Revista, Curitiba, n. 55, p. 167-186, mar. 2015.

MACHADO, I. F. Crítica e autocrítica: avaliação participativa em escolas do campo do estado de Mato Grosso.

Educação: Teoria e Prática, Rio Claro, SP, v. 20, n. 35, p. 57-69, dez. 2010.

MARCON, T. Políticas de educação do campo: avanços e desafios. Práxis Educativa, Ponta Grossa, PR, v. 7, n. 1, p. 85-105, jun. 2012.

MARSCHNER, W. Lutando e ressignificando o rural em campo: notas epistemológicas. Interações, Campo Grande, MS, v. 12, n. 1, p. 41-52, jun. 2011.

MOLINA, M. C. A contribuição do PRONERA na construção de políticas públicas de educação do campo e desenvolvimento sustentável. 2003. 146f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Sustentável) – Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF, 2003.

______. (Org.) Educação do campo e pesquisa II: questões para reflexão. Brasília, DF: MDA/MEC, 2010.

______. Expansão das licenciaturas em Educação do Campo: desafios e potencialidades. Educar em Revista, Curitiba, n. 55, p. 145-166, mar. 2015.

______. Bibliografia comentada. Em Aberto, Brasília, DF, v. 24, n. 85, p. 165-177, abr. 2011.

______. Legislação educacional do campo. In: CALDART, R. S. et al (Org.). Dicionário da Educação do Campo.

São Paulo: Expressão Popular, 2012. p. 453-459.

MOLINA, M. C.; ABREU, H. C. de F. Apresentação. Em Aberto, Brasília, DF, v. 24, n. 85, p. 11-14, abr. 2011.

MONTEIRO, C. E. F.; CRUZ, F. M. L.; ALVES, I. M. O que dizem os pais sobre o ensino e a aprendizagem de matemática em escolas rurais. Roteiro(UNOESC), Videira, SC, v. 37, n. 1, p. 23-50, jun. 2012.

NASCIMENTO, C. G. do. A teoria crítica de Gramsci nas pedagogias alternativas de educação do campo. Linhas Críticas, Brasília, DF, v. 13, n. 25, p. 185-202, dez. 2007.

PALUDO, C.; SILVEIRA, D. M. Contribuições para a história da educação infantil do campo no Brasil. Contrapontos, Itajaí, SC, v. 14, n. 1, p. 170-185, abr. 2014.

PARENTE, C. da M. D. Escolas multisseriadas: a experiência internacional e reflexões para o caso brasileiro. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 22, n. 82, p. 57-88, jan. 2014a.

PARENTE, C. da M. D. Perfil, concepções e práticas pedagógicas de professores que atuam em turmas multisseriadas de escolas públicas de Sergipe. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, DF, v. 95, n. 241, p. 676-695, dez. 2014b.

PONTES, M. L. de. Sujeitos coletivos de direito. In: CALDART, R. S. et al (Org.). Dicionário da Educação do Campo. São Paulo: Expressão Popular, 2012. p.726-730.

RANGEL, M.; CARMO, R. B.do. Da educação rural à educação do campo: revisão crítica. Revista da FAAEBA: Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 20, n. 36, p. 205-214, dez. 2011.

RIBEIRO, M. Educação Rural. In: CALDART, R. S. et al (Org.). Dicionário da Educação do Campo. São Paulo:

Expressão Popular, 2012a. p. 295-301.

______. Educação do campo: embate entre Movimento Camponês e Estado. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 28, n. 1, p. 459-490, mar. 2012b.

______. Política educacional para populações camponesas: da aparência à essência. Revista Brasileira de Educação, v. 18, p. 669-691, 2013a.

______. Formação de educadores de jovens e adultos do campo: quase tudo por fazer. Perspectiva, Florianópolis, v. 31, n. 2, p. 479-504, dez. 2013b.

______. Reforma agrária, trabalho agrícola e educação rural: desvelando conexões históricas da educação do campo. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 41, n. 1, p. 79-100, mar. 2015.

RIBEIRO, V.; PARAÍSO, M. A. A produção acadêmica sobre educação do campo no Brasil: currículos e sujeitos demandados. Educação, Porto Alegre, v. 35, n. 2, p. 169-180, ago. 2012.

RIGOLIN, C. C. D.; HAYASHI, C. R. M.; HAYASHI, M. C. P. I. Métricas da participação feminina na ciência e na tecnologia no contexto dos INCTs: primeiras aproximações. Liinc em Revista, v. 9, p. 143-170, 2013.

ROSSI, R. et al. Educação do campo e juventude: problematizações a partir da conflitualidade. Educação, Santa Maria, RS, v. 39, n. 3, p. 605-615, dez. 2014.

SANTOS, C. F.; PALUDO, C.; BASTOS, R. Concepção de Educação do Campo. In: TAFFAREL, C. N. Z. et al.




DOI: http://dx.doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2016.v25.n46.p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2358-0194

 Classificação Qualis CAPES:

 Educação - A2

  Indexadores:

       

      

   

      

 

  Localização dos Acessos:


 

  Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0