ANÁLISE DE POTENCIALIDADES DE USO DE TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO EM CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA EM IES PRIVADAS

Luciane Hilu, Patrícia Lupion Torres

Resumo


Este artigo busca discutir alternativas pedagógicas e tecnológicas que possam diminuir as disparidades de conhecimentos dos ingressantes dos cursos superiores, advindas do ingresso de grandes turmas por questões de sustentabilidade financeira das Instituições de Ensino Superior (IES), de forma sustentável economicamente e com
qualidade, dentro de um paradigma atual voltado à complexidade. Este questionamento advém da situação atual das IES, que passam por questionamentos epistemológicos, metodológicos, tecnológicos, mas também de vertente da sustentabilidade. Inicia com a discussão sobre a educação na contemporaneidade, tratando dos paradigmas
educacionais atuais e de sua íntima ligação com as tecnologias; passa pela análise dos aspectos de sustentabilidade; relata o estudo de caso do curso de Licenciatura em Música de uma IES de grande porte do Paraná, a Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), analisando o perfil do ingressante; e, por fim, propõe a utilização
das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) neste âmbito, conceituandoas como alternativa para solução das problemáticas apontadas. Conclui-se que o uso das TICs no ensino superior faz-se cada vez mais imprescindível, tanto como um meio de se efetivar a aquisição do conhecimento dentro da universidade, quanto um
elemento que deve fazer parte do aprendizado de um futuro profissional quando do exercício de sua profissão.


Palavras-chave


Paradigmas. Licenciatura em música. TICs.

Texto completo:

PDF

Referências


BELLONI, Maria Luiza. Educação a distância. Campinas, SP: Autores Associados, 2008.

BEHRENS, Marilda Aparecida. Paradigma da complexidade: metodologia de projetos, contratos didáticos e portfolios. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

______. O paradigma da complexidade na formação e no desenvolvimento profissional de professores universitários.Revista de Educação, Porto Alegre, ano XXX, v. 63, n. 3, p. 439-455, set./dez. 2007.

______. Projetos de aprendizagem colaborativa num paradigma emergente. In: MASSETO, Marcos; MORAN, Jose Manuel; BEHRENS, Marilda A. Novas tecnologias e mediação pedagógica. Petrópolis, RJ: Papirus, 2012. p. 67-132.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CP nº 9/2001. Brasília, 2001. Disponível em: . Acesso em: 03 out. 2015.

______. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP nº 1/2002. Brasília, 2002. Disponível em: . Acesso em: 03 out. 2015.

______. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CES nº 2/2004. Brasília, 2002. Disponível em: . Acesso em: 03 out. 2015.

______. Livro Azul da 4ª Conferência Nacional de Ciência e Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Sustentável. Brasília: Ministério da Ciência e Tecnologia, 2010.

KENSKI, V. M. A profissão do professor em um mundo em rede: exigências de hoje, tendências e construção do amanhã: professores, o futuro é hoje. Tecnologia Educacional, v. 26, n. 143, p. 65-69, 1998.

______. Gestão e uso das mídias em projetos de educação a distância. Revista E-Curriculum, São Paulo, v. 1, n.1, dez./jul. 2005-2006. Disponível em: . Acesso em: 03 out. 2015.

OKADA, A. Mapas do conhecimento com recursos educacionais abertos aplicados à coaprendizagem baseada em coinvestigação. In: TORRES, P. L. (Org.). Complexidade: redes e conexões na produção do conhecimento. Curitiba: SENARPR, 2014. vol. 1. p. 213-237.

POCHMANN, Marcio. Desenvolvimento e perspectivas novas para o Brasil. São Paulo: Cortez, 2010.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ (PUCPR). Intranet. Disponível em: . Acesso em: 13 jul. 2013.

RICHARDSON, C. R. Conhecimento educacional aberto: mais que abrir a porta da sala de aula. In: IIYOSHI, T. E; KUMAR, M. S. V. (Org.). Educação aberta: o avanço coletivo da educação pela tecnologia, conteúdo e conhecimento abertos. [S.l.]: UNIP/ABED, 2014. p. 279-288.

SANTAELLA, Lucia. Da cultura das mídias à cibercultura: o advento do pós-humano. Revista FAMECOS, Porto Alegre, n. 22, p. 23-32, dez. 2003.

SECRETARIA DO ESTADO DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DO PARANÁ. Censo Escolar. Disponível em:

. Acesso em: 13 jul. 2013.

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE CURITIBA. Censo Escolar. Disponível em: . Acesso em: 13 jul. 2013.

TORRES, P. L. Laboratório on-line de aprendizagem: uma proposta crítica de aprendizagem colaborativa para a educação. Tubarão, SC: Editora Unisul, 2004. vol. 1.

______. Redes e conexões para compor os liames do conhecimento. In: ANDREOLI, C. V.; TORRES, P. T. (Org.).

Complexidade: redes e conexões do ser sustentável. Curitiba: SENARPR, 2014. vol. 1. p. 15-32.

TORRES, P. L. et al. Prática pedagógica numa visão complexa na educação presencial e a distância: os ‘REAS’ como recurso para pesquisar, ensinar e aprender. Revista Diálogo educacional, Curitiba, v. 15, n. 45, p. 443-471, maio/ago. 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2015.v24.n44.p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2358-0194

 Classificação Qualis CAPES:

 Educação - A2

  Indexadores:

       

      

   

      

 

  Localização dos Acessos:


 

  Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0