EDUCAÇÃO POPULAR E O DISCURSO DA ECONOMIA POLÍTICA EUROCÊNTRICA

Diogo Marques Tafuri, Luiz Gonçalves Junior

Resumo


Partindo de um posicionamento epistemológico que considere as práticas educativas para além das relações pedagógicas empreendidas no sistema educacional, e reconhecendo que conhecimentos são também edificados no interior de práticas sociais não escolares, este ensaio tem por objetivo fundamentar teoricamente os nexos estabelecidos entre as formas de agir e pensar economicamente dos grupos populares no bojo da elaboração histórico-cultural com a qual produzem simbólica e materialmente a própria existência, e o sistema de categorias advindo dos paradigmas da Economia Política moderna e eurocêntrica. Por meio da revisão de literatura relativa à temática, argumentamos sobre a relevância de tomarmos a ação econômica popular
enquanto prática social conformadora dos modos como tais pessoas se educam para a vida. Realizando a reconstituição histórica dos fundamentos epistemológicos da Economia Política contemporânea, buscamos problematizar a natureza construída de tais experiências educativas a partir da existência e funcionamento de sistemas ideológicos historicamente estabelecidos. Por fim, tecemos algumas considerações acerca das práticas sociais populares e suas relações de saber-poder com a perspectiva eurocêntrica de modernidade.


Palavras-chave


Educação popular. Economia política. Eurocentrismo.

Texto completo:

PDF

Referências


ALCALDE, B. F. K. Ensaios sobre educação no Brasil: igualdade de oportunidades e rendimentos dos egressos das universidades públicas. 2013. 110 f. Dissertação (Mestrado em Economia) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Programa de Pós- Graduação em Economia da Faculdade de Ciências Econômicas, Porto Alegre, 2013.

BRANDÃO, C. R. A educação como cultura. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2002.

BUCHMANN, G. Interação entre educação, fecundidade e economia política e suas consequências para distribuição de renda. 2007. 61 f. Dissertação (Mestrado em Economia) – Departamento de Economia, Pontifícia

Universidade católica do Rio de Janeiro (PUC/Rio), Rio de Janeiro, 2007.

CARDOSO, F. dos R. Educação superior e crescimento econômico. 2006. 76 f. Dissertação (Mestrado em Economia) – Programa de Pós-Graduação em Economia, Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal

do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

DIAS, P. V. M. Economia política da educação de massas: a escola pública como condição geral de produção do capital. 2010. 217 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

DUSSEL, E. Cultura imperial, cultura ilustrada e libertação da cultura popular. In: ______. Oito ensaios sobre cultura latino-americana e libertação. São Paulo: Paulinas, 1997. p. 121-152.

______. Transmodernidad e interculturalidad (interpretación desde la filosofia de la libertación). México City: UAM, 2005.

______. 16 tesis de economía política: interpretación filosófica. México: Siglo XXI Editores, 2014.

FAGNANI, E. Brasil: dois projetos em disputa. Le Monde Diplomatique Brasil, ano 7, n. 84, julho de 2014.

FIORI, E. M. Educação Libertadora. In: ______. Textos escolhidos. Educação e Política. Vol. II. Porto Alegre: L&PM, 1991. p. 83-95.

FREIRE, P. Ação cultural para a liberdade. 5. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

______. Pedagogia do oprimido. 50. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011a.

______. Pedagogia da esperança: um reencontro com a Pedagogia do Oprimido. 17. ed. São Paulo: Paz e Terra,

b.

LAMEZA, J. O. de. A expansão do ensino superior privado no Brasil e a participação do financiamento estatal (1995–2004). 2006. 90 f. Dissertação (Mestrado em Economia Política) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2006.

LINS, L. M. Educação e economia: um estudo da relação entre estrutura produtiva e demandas educacionais nas regiões metropolitanas de São Paulo e Belo Horizonte. 2013. 185 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

MANCE, E. A. Redes de colaboração solidária– Aspectos Econômico-Filosóficos: Complexidade e Libertação. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

MARTINS, J.; BICUDO, M. A. da V. A pesquisa qualitativa em psicologia, fundamentos e recursos básicos. 2. ed. São Paulo: Moraes/EDUC, 1989.

MÜLLER, L. H. A. Políticas de inclusão e de educação financeira. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPOCS, 37., 2013, Águas de Lindóia, SP. Anais... Águas de Lindóia, SP: ANPOCS, 2013.

MÜLLER, L. H. A.; WILKIS, A. Etnografias de práticas econômicas: reflexões sobre fronteiras sociais. Civitas, Porto Alegre, v. 10, n. 3, p. 373-375, set./dez. 2010.

NEIBURG, F. Os sentidos sociais da economia. In: MARTINS, C. B.; DUARTE, L. F. D. (Coord.). Horizontes das ciências sociais no Brasil – Antropologia. São Paulo: ANPOCS/Barcarolla/Discurso Editorial, 2010. p. 1-34.

OLIVEIRA, M. W. de. Et al. Processos educativos em práticas sociais: reflexões teóricas e metodológicas sobre pesquisas em espaços sociais. In: OLIVEIRA, M. W. de; SOUSA, F. R. (Org.). Processos educativos em práticas sociais: pesquisas em educação. São Carlos, SP: EdUFSCar, 2014. p. 29-46.

PAULANI, L. M. Modernidade e discurso econômico. São Paulo: Boitempo, 2005.

QUIJANO, A. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: LANDER, Edgardo (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: Clacso, 2005. p. 107-130. (Colección Sur Sur).

SADER, E. Quando novos personagens entraram em cena: experiências, falas e lutas dos trabalhadores da Grande São Paulo, 1970-80. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

SANTOS, B. de S.; MENESES, M. D. Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS, F. R. Tecnocracia capitalista: fundamentos e implicações para a educação. 2014. 206 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Sãso Carlos (UFSCar), São Carlos, SP, 2014.

SCIRÉ, C. D. de O. Financeirização da pobreza: crédito e endividamento no âmbito das práticas populares de consumo. Teoria & Pesquisa, São Carlos, SP, v. 20, n. 1, p. 65-78, 2011.

SILVA, P. B. G. Educação e identidade dos negros trabalhadores rurais do limoeiro. 1987. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1987.

SILVEIRA, M. L. Finanças, consumo e circuitos da economia urbana na cidade de São Paulo. Caderno CRH, Salvador, v. 22, n. 55, p. 65-76, jan./abr. 2009.

TAFURI, D. M. A experiência educativa da gestão de um banco comunitário na periferia de São Carlos/SP. 2014. 193 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) São Carlos,

SP, 2014.

VALLA, V. V. A crise de interpretação é nossa: procurando compreender a fala das classes subalternas. Educação e Realidade, v. 21, n. 2, p. 177-190, 1996.

WALTENBERG, F. D. Análise econômica de sistemas educativos: uma resenha crítica da literatura e uma avaliação empírica da iniqüidade do sistema educativo brasileiro. 2003. 159 f. Dissertação (Mestrado em Economia) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 2003.

______. Teorias econômicas de oferta de educação: evolução histórica, estado atual e perspectivas. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 32, n. 1, p. 117-136, jan./abr. 2006.

ZIMMER, R. As relações entre educação, geração de renda e ocupações no estado do Rio Grande do Sul. 2011. 90 f. Dissertação (Mestrado em Economia) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Ciências Econômicas, Programa de Pós-Graduação em Economia, Porto Alegre, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2015.v24.n43.p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2358-0194

 Classificação Qualis CAPES:

 Educação - A2

  Indexadores:

       

      

   

      

 

  Localização dos Acessos:


 

  Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0