A MULHER NA CIDADE - UMA PROPOSTA METODOLÓGICA PARA A ANÁLISE DO ESPAÇO URBANO SOB A PERSPECTIVA DO MOVIMENTO DE MULHERES NA CIDADE DE SALVADOR

Júlia Garcia de Souza da Silva

Resumo


Este artigo tem por objetivo construir um caminho metodológico para a análise do Espaço Urbano a partir da articulação da ciência geográfica e da epistemologia feminista socialista, buscando o nó que imbrica as relações sociais de sexo, raça/etnia e classe com o espaço geográfico. Visa-se aqui enfatizar a abordagem sobre a dimensão espacial nas relações sociais de sexo, bem como as relações sociais de sexo, raça/etnia e classe com a produção do espaço urbano. As metodologias feministas, no plural, são o resultado de um processo histórico de contestação à ciência positivista e   utilizada para construir um conhecimento que tenha por finalidade a transformação social. Para a realização desse texto, foi feita uma revisão bibliográfica enfocando as metodologias de análise do Feminismo Materialista e da metodologia perspectivista, a fim de iniciar a compreensão de como a pesquisa feminista contribui para analisar as formas que as relações sociais de sexo se expressam na produção e reprodução do espaço urbano. A centralidade dessa análise é a compreensão do olhar do movimento feminista para as cidades, com ênfase à cidade de Salvador. Parte-se aqui, da análise do espaço geográfico como um espaço de reprodução das relações do sistema capitalista-patriarcal-racista e suas contradições. Busca-se compreender como se dá a perpetuação das relações sociais de sexo a partir do uso e ocupação do solo e como a metodologia feminista serve à ciência geográfica, e vice-versa, para que a produção e a reprodução do espaço seja compreendida à sua totalidade.


Texto completo:

PDF

Referências


BONDI L. & ROSE, D. Constructing gender, constructing the urban: a review of Anglo-American feminist urban geography. Gender, Place and Culture, Nova York, 1992.

CAMACHO, R. S. A produção do espaço e do território: as relações de trabalho subordinadas ao modo de produção capitalista. Entre-Lugar, ano 1, n. 1, 1º, Dourados, 2010.

CASTRO, M. Marxismo, feminismos e feminismo marxista: mais que um gênero em tempos neoliberais. Crítica Marxista, n. 11, Campinas, 2000.

CORRÊA, R. L. O espaço urbano. São Paulo: Ática, 1986.

DAVIS, A. Mulheres, raça e classe. Tradução Heci Regina Candiani. - 1. ed. - São Paulo: Boitempo, 2016.

HARAWAY, D. J. (1991). Simians, cyborgs, and women: the reinvention of nature. London: Free Association Books.

HUXLEY, M. E EINCHESTER, H. P. M. Residencial differentiation and social reproduction: the interrelations of class, gender, and space. In: Environment and Planning D: Society and Space, v. 9, n 2, Great Britain: Pion Limited, 1991.

McDOWELL, L. (1983) Towards an understanding of the gender division of urban space. Environment and Planning D: Society and Space, 1(1), 15-30.

_________. (1999). Gender, identity and place: understanding feminist geographies. Minneapolis: University of Minnesota Press.

MARTÍNEZ, Ana S., MOYA, Juana R. e MUNOZ, M. Mujeres, Espacto y Sociedad - Hacia una Geografía del Género. Madrid: Síntesis, 1995.

MARX, K. Para a Crítica da Economia Política. São Paulo: Abril Cultural 1984 [1859].

MOREIRA, R. Pensar e ser em geografia: ensaios de história, epistemologia e ontologia do espaço geográfico. Contexto, São Paulo,

________. O Que é Geografia. Brasiliense, São Paulo,1985.

OYÈWÚMI, O. Family bonds/Conceptual Binds: African notes on Feminist Epistemologies. Signs, Vol. 25, No. 4, Feminisms at a Millennium. Tradução para uso didático por Aline Matos da Rocha. 2000.

RAINEIRO, L. Indicadores Urbanos de Género Instrumentos para la gobernabilidad urbana. CISCSA: Córdoba, Argentina, 1988.

ROSSINI R. E. A produção do novo espaço rural: pressupostos gerais para a compreensão dos conflitos sociais no campo. CAMPO-TERRITÓRIO: revista de geografia agrária, v. 4, n. 8, p. 5-28, 2009.

SAFFIOTI, H. A mulher na sociedade de classes. Mito e Realidade. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

SILVA, J. M. Não Excluam Metade da Humanidade da Geografia Humana: entrevista com Janice Monk. Revista Latino-americana de Geografia e Gênero, Ponta Grossa, v.1, n.1, p. 148 - 152, jan. / jul. 2010


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Encantar - Educação, Cultura e Sociedade

____________________________________________________________

Revista Encantar: Educação, Cultura e Sociedade

Pré-avaliação Qualis 2019: B2

Departamento de Ciências Humanas e Tecnologias – DCHT Campus XVII
Universidade do Estado da Bahia - UNEB
revistaencatar@gmail.com.br

 

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional