O Perfil do Educador Popular da EJA no Discurso de Jovens Operários - Educandos do Projeto Escola Zé Peão

Eduardo Jorge Lopes da Silva, Liliane Oliveira Lira, Gessica Maria Silva de Lima

Resumo


O presente artigo tem como objetivo identificar enunciados presentes nos discursos dos jovens educandos-operários da construção civil sobre o perfil de educadores para atuar na modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA). De abordagem qualitativa, teve como lócus o Projeto Escola Zé Peão (PEZP), projeto de extensão que há mais de 26 anos atua em parceria entre a Universidade Federal da Paraíba – Câmpus I/Centro de Educação e o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil, Pesada, Montagem e do Mobiliário de João Pessoa e Regiões (Sintricom). Teoricamente, a pesquisa foi fundamentada nos estudos de Freire (2005), Resende (2004), Silva (2011), Arroyo (2005), entre outros estudiosos, e na legislação pertinente. A metodologia utilizada consistiu em estudos bibliográficos sobre o referido tema, e os dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada, realizada com quatro jovens operários-educandos, na faixa etária entre 25 e 29 anos. As análises das entrevistas foram realizadas segundo a perspectiva foucaultiana da Análise Arqueológica do Discurso (AAD). Os resultados nos possibilitaram identificar os seguintes enunciados referentes ao perfil do educador para atuar na EJA: profissional paciente; profissional participativo e atento ao esclarecimento das dúvidas dos educandos; profissional extrovertido e atencioso; e profissional que exercite a prática da escrita e na leitura junto os alunos. As conclusões evidenciam que, nos discursos dos operários-educandos da construção civil, os enunciados sinalizam para as seguintes formações discursivas: Educação Popular, e Pedagogia Sociocultural e Humanista.


Texto completo:

PDF

Referências


Andrade, R. R. M. de. (2006). A formação de professores nas dissertações e teses defendidas em Programas de Pós-Graduação em Educação entre os anos de 1999 e 2003. 2006. 82 f. Dissertação (Mestrado em Educação). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, São Paulo.

André, M. et al. (1999). Estado da arte da formação de professores no Brasil. Educação e sociedade: revista do Centro de Estudos, Educação e Sociedade (CEDES), Campinas/SP, n. 68, p. 301-309, dez.

André, M. et al. (2004). A formação de professores nas pesquisas dos anos 1990. In: Maciel, Lizete Shizue Bomura; Shigunov Neto, Alexandre (Orgs.). Formação de professores: presente, passado e futuro. São Paulo: Cortez, p. 77-96.

Arroyo, M. (2005). Educação de jovens-adultos: um campo de direitos e de responsabilidade pública. In: Soares, Leôncio; Gianetti, Maria Amélia; Gomes, Nilma Lino (Orgs.). Diálogos na educação de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica.

Brasil. (2008). Ministério da Educação/Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Documento base nacional preparatório à VI CONFINTEA. Brasília: MEC, março de 2008. Disponível em: . Acesso em 28 mar. 2008.

Comenius, J. A. (1957). Didática magna. Praga: Fundação Calouste Gubenkian.

Dieese. (2001). Os trabalhadores e a reestruturação produtiva na construção civil brasileira: resenha DIEESE, Estudos Setoriais, n. 12, fev. 2001. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2010.

Foucault, M. (2008). Arqueologia do saber. Tradução de Luiz Felipe Baeta Neves. 7. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Foucault, M. (2000). A ordem do discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. Tradução por Laura Fraga de Almeida Sampaio. 6. ed. São Paulo: Loyola.

Freire; P. (2005). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 31. ed. São Paulo: Paz e Terra, (Coleção Leitura).

Freire; P. (2007). Ação cultural para a liberdade e outros escritos. 12. ed. São Paulo: Paz e Terra.

Gadotti, M. (1991). Convite à leitura de Paulo Freire. 2. ed. Editora Scipione.

Haddad, S. et al. (2000). O estado da arte das pesquisas em educação de jovens e adultos no Brasil: a produção discente da pós-graduação em educação no período de 1986-1998. São Paulo: Ação Educativa. Disponível em: . Acesso em: 17 jul. 2004.

Instituto Paulo Montenegro. (2016). Indicador de Alfabetismo Funcional – INAF. Estudo especial sobre alfabetismo e mundo do trabalho. São Paulo: Instituto Paulo Montenegro: Ação Educativa.

Ireland, V. E. J. da C. (2017). Alfabetização de Adultos e seus métodos: relato de uma experiência. In: Ireland, T. D.; Silva, E. J. L. da; Araújo, L. M. de. Aprendendo com o trabalho: 25 anos da Escola Zé Peão. Jundiaí/SP: Paco.

Ireland, T. D. et al. (1998). Prêmio educação para a qualidade do trabalho: Projeto Escola Zé Peão. João Pessoa: [s.d.]. Fotocopiado.

Mizukami, M. da G. N. N. (1986). Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, (Temas básicos de educação e ensino).

Oliveira, C. J. de. (2007). Discursos sobre a matemática escolar: um estudo a partir da Revista Nova Escola. In: ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM EDUCAÇÃO, 30. 2007, Caxambú. Anais eletrônicos... Caxambu: ANPEd. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2008.

Resende, L. M. G. de. (2004). Paradigma – relações de poder – projeto político-pedagógico: dimensões indissociáveis do fazer educativo. In: Veiga, I. P. A. (Org.). Projeto político-pedagógico da escola: uma construção possível. 17. ed. Campinas/SP: Papirus, p. 53-94 (Coleção magistério: formação e trabalho pedagógico).

Silva, E. J. L.. (2011). Prática discursiva de formação de professores alfabetizadores de jovens e adultos em uma experiência de educação popular. 2011. 430 f. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

Silva, E. J. L. da. (2014). A análise arqueológica do discurso em uma lente de pesquisa em educação. Revista Temas em educação. João Pessoa, v. 23, n.1, p.148-159, jan.-jun. Disponível em: .

Silva, E. J. L. da. (2015). A Experiência do Projeto Escola Zé Peão na Formação de Professores Alfabetizadores para Educação de Jovens e Adultos. João Pessoa: Editora da UFPB.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Direitos autorais 2019 Revista Brasileira de Educação de Jovens e Adultos

ISSN 2317-6571

ESTA REVISTA ESTÁ INDEXADA EM:

DIADORIM, PORTAL SEER, Periódicos CAPESDOAJ, JournalTOCs, CREFAL - Recursos Especializados en EPJA, Latindex

 

QUALIS B1 em Ensino

QUALIS B2 em Educação

QUALIS B3 em Planejamento Urbano e Regional/Demografia

QUALIS B3 em Interdisciplinar

QUALIS B5 em Comunicação e Informação

A Revista Brasileira de Educação de Jovens e Adultos é uma publicação do Grupo de Pesquisa Cultura, Currículo e Políticas na Educação de Jovens e Adultos - CULT-EJA.

VISITANTES:  contador de acessos