A PARÓDIA COMO RECURSO DIDÁTICO/PEDAGÓGICO NO ENSINO DE GEOGRAFIA: UMA EXPERIÊNCIA FORMATIVA NO ÂMBITO DO PIBID

DILMARA MENEZES SANTOS, ADINEIDE OLIVEIRA DOS ANJOS

Resumo


O presente trabalho faz referência às experiências vivenciadas durante a realização da oficina “O Show é seu: conhecimentos geográficos musicalizados”, desenvolvida no âmbito da ação V Atelier Geográfico Temático intitulado Geografia musical: letras, leituras e interpretações na sala, a qual compõe a proposta do subprojeto do PIBID, intitulado “Formação docente e Geografia escolar: das práticas e saberes espaciais à construção do conhecimento geográfico”, em desenvolvimento no Departamento de Educação do Campus XI da Universidade do Estado da Bahia – UNEB. A referida ação foi realizada na escola Ana Oliveira, localizada no povoado de Socavão, município de Teofilândia – Ba, com as turmas de 8º e 9º anos. A música, por estar presente no dia a dia dos estudantes, se configura como um recurso significativo para se trabalhar os conteúdos, conceitos e temas da Geografia Escolar. Através dessa linguagem é possível mobilizar o interesse dos alunos, possibilitando uma aprendizagem significativa, fomentadora do desenvolvimento de um pensamento crítico-reflexivo, além de se configurar como um dispositivo lúdico que desperta um novo olhar sobre a Geografia e o seu papel na escola. Esta ação foi estrutura em três etapas, a saber: a primeira foi o uso de músicas nas aulas analisando e interpretando as letras das canções, “América Central – Fogo Cruzado” para abordar o conteúdo América Central nas turmas dos 8º ano A/B, e a “música: Globalização – Tribo de Jah” com o 9º ano para iniciar a análise dos conteúdos crescimento industrial da China e Tigres Asiáticos, depois apresentamos a proposta da introdução de paródias elencando aos assuntos estudados. Neste processo foi explicado cada passo de como fazer uma paródia, sendo solicitada a construção destas pelos alunos como forma de demonstrar os conhecimentos construídos por estes no decorrer da unidade. E por fim, as paródias criadas pelos discentes foram apresentadas para toda a escola no dia 19 de setembro de 2017, culminância da oficina. Ao se observar as produções realizadas e produzidas a partir dos conteúdos que estavam sendo tratados nas aulas de Geografia, como a questão dos Tigres Asiáticos, a industrialização Chinesa e Japonesa, o poder dos EUA e a Globalização, foi possível perceber o desenvolvimento de um pensamento crítico por parte dos alunos ao escreverem suas paródias e socializa-las. Portanto, no contexto da sala de aula e da Geografia Escolar, esse modo lúdico de revisar a obra e criar outra canção possibilita a reelaboração de novos conhecimentos e saberes porque necessita de um conhecimento prévio do assunto que irá ser tratado, para a sua construção. Essa proposta de trabalho teve como objetivo ensinar e aprender conteúdos geográficos a partir da linguagem musical a fim de ampliar os horizontes da aprendizagem, problematizando o espaço geográfico através do estudo, análise, interpretação e criação de canções. As atividades desenvolvidas nesse V Atelier Geográfico Temático possibilitaram perceber que o uso desta linguagem extrapola o simplismo pré-concebido, sendo esta importantíssima na consolidação do trabalho pedagógico, na leitura de mundo, na criticidade de fenômenos, processos, fatos e conteúdos da Geografia contemplados nas letras das músicas selecionadas das criações das paródias.

Palavras-chave


Linguagem musical; Paródias; Ensino de Geografia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 DILMARA MENEZES SANTOS, ADINEIDE OLIVEIRA DOS ANJOS


 

Universidade do Estado da Bahia – UNEB – Campus I
Rua Silveira Martins, 2555, Cabula – Salvador-BA
CEP 41.150-000
Prédio da Pós-Graduação em Educação – GEOTEC

 
ISSN: 2674-7227

PERIODICIDADE: Bienal

INDEXADORES E DIRETÓRIOS: 


Todo o conteúdo publicado nestes Anais está licenciado com uma Licença Creative Commons - Attribution-ShareAlike 4.0 International.