RELATO DE EXPERIÊNCIA O RAP E A GRANDE MUDANÇA DO 4º ANO C ESCOLA MUNICIPAL GOV. ROBERTO SANTOS-SALVADOR-BA.

DILZA PEDRINA NASCIMENTO

Resumo


Este trabalho tem como objetivo refletir as mudanças e reflexões dos alunos do 4º C referente às experiências concebidas e vivenciadas durante a realização da II Feira Cultural : Ritmos do Brasil da Escola Municipal Gov. Roberto Santos. A turma no 4º ano C costumava ser uma turma apática na qual os alunos demonstravam pouco envolvimento e interação no ambiente escolar. A partir do projeto foi possível perceber um significativo avanço no desempenho escolar, no relacionamento emocional e interpessoal (aluno/aluno, aluno/professor). Hetkowski (201-?.) coloca que tomar consciência é romper com o senso comum, é refletir sobre as ação e ser capaz de ousar e mudar. Com enfoque prático reflexivo, os alunos tiveram oportunidade de conhecer, refletir, experimentar, praticar, criar, desenvolvendo a sensibilidade musical. A turma do 4º ano C ficou com o RAP, de forma que procuramos favorecer a expressão criativa, prazerosa no fazer musical coletivo, de forma que buscamos por meio das atividades propostas desenvolver o senso crítico e reflexivo dos nossos alunos. No construir das sequências didática iniciamos com uma pesquisa bibliográfica sobre a história do RAP e a partir de um documentário procurou-se mostrar para os alunos a sua origem na sociedade e as mudanças promovidas em decorrência desse ritmo musical. Em seguida, partimos para construção de textos com base nas compreensões da turma em torno da temática. Por intermédio desse construir e refletir não tive dúvida que a escolha do RAP e o trabalho coletivo, foi o caminho certo para o motivar do grupo. Moura (2017) coloca que formar é construir tanto coletiva como cotidianamente, deixado claro que o processo só torna-se significativo quando desenvolvido de maneira colaborativa. A cada nova ação, um maior envolvimento dos alunos. Especialmente, pelo olhar crítico que o estilo permite ao denunciar as desigualdades, as mazelas, o preconceito e a corrupção em suas letras. No decorrer do projeto os alunos se mostraram entusiasmados e participativos e em pouco tempo obtivemos resultados satisfatórios em relação às produções e o envolvimento da turma com a temática e assim gírias e rimas foram construídas e compartilhadas. As atividades proporcionaram aprendizagens significativas levando os alunos a vivenciarem de forma autônoma e crescente o processo de aprendizagem. Dentre tantas coisas, escritas, ditas e desenhadas, em particular uma me emocionou e chamou atenção o depoimento da mãe de R. J.um aluno nosso que possui deficiência e geralmente se mostra tímido e introspectivo no contexto escolar relatando que a partir do projeto o aluno passou sentir um desejo maior em ir para escola, passando grande parte do tempo catando músicas relacionada a temática da turma e interagindo de maneira crescente com os colegas do ambiente escolar. O projeto permitiu que barreiras de relacionamento, criatividade e envolvimento fossem rompidas no 4º ano C, propiciando o despertar de uma turma ativa, participativa e reflexiva.

Palavras-chave


Rap; Aprendizagem; Educando

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 DILZA PEDRINA NASCIMENTO


 

Universidade do Estado da Bahia – UNEB – Campus I
Rua Silveira Martins, 2555, Cabula – Salvador-BA
CEP 41.150-000
Prédio da Pós-Graduação em Educação – GEOTEC

 
ISSN: 2674-7227

PERIODICIDADE: Bienal

INDEXADORES E DIRETÓRIOS: 


Todo o conteúdo publicado nestes Anais está licenciado com uma Licença Creative Commons - Attribution-ShareAlike 4.0 International.