A tradução como atividade de desenvolvimento da criticidade em sala de aula de língua estrangeira

Patrick Rezende

Resumo


Este trabalho objetiva contribuir com a desconstrução, por meio de diálogos com as vozes de diversos pesquisadores (ARROJO, 1982; DEPAULA, 2005; COOK-SATHER, 2006), a persistente ideia de tradução como atividade mecânica e neutra que transfere significados supostamente estáveis de uma determinada língua para outra.  Entendendo a tradução como uma tarefa altamente subjetiva e, portanto, ideológica, apresentaremos a atividade tradutória como vetor possível para o desenvolvimento do pensamento crítico dos alunos de língua estrangeira ao refletirmos sobre as possibilidades de produção de sentido via tradução.     


Palavras-chave


Tradução; Ensino de Línguas; Pedagogia da Tradução

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



BABEL: Revista Eletrônica de Línguas e Literaturas Estrangeiras - ISSN 2238-5754 | Departamento de Educação DEDC II - Universidade do Estado da Bahia