Psycho: representation of fear

Thainá Soares Reis

Resumo


Psycho (Psicose), é pensada como uma façanha do mestre do suspense, como foi reconhecido, Alfred Hitchcock (1899 – 1980). O que poucos sabem é que, na verdade, foi Robert Bloch (1917 – 1994), responsável pela criação da mente perturbada e misteriosa considerada atualmente como uma das mais famosas na literatura: Norman Bates. Neste sentido, o objetivo deste artigo é discutir os aspectos da literatura de horror, que permite ao leitor entrar em contato com o que não é convencional em narrativas, mas está presente em cada um de nós: o medo. Além disso, pretende-se delinear, tomando fundamentos teóricos como base, o surgimento e ascensão deste gênero, para assim, compreender o motivo pelo qual a literatura de horror, ao invés de causar repulsa devido aos seus aspectos, atrai ainda mais prestígio na contemporaneidade. Para realizar a análise comparativa entre obras homônimas, este estudo se apropria de base metodológica bibliográfica-documental, a partir leituras contextuais.

Palavras-chave


Literatura de horror; Psicose; Representação do Medo

Texto completo:

PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



BABEL: Revista Eletrônica de Línguas e Literaturas Estrangeiras - ISSN 2238-5754 | Departamento de Educação DEDC II - Universidade do Estado da Bahia