Fundo de financiamento estudantil – FIES: inclusão para exclusão?

Vyrna Isaura Valença Perez

Resumo


Os impactos do FIES - Fundo de Financiamento Estudantil na vida de alunos egressos das universidades particulares no Brasil é um tema relevante e que gera consequências no meio acadêmico e na sociedade. Entre 2004 e 2011, segundo estudos do INEP, a proporção de pessoas pertencentes à faixa dos 20% de menor renda da população brasileira aumentou sua presença no ensino superior de 0,6% para 4,2%. Esses números parecem indicar uma inclusão social na educação superior brasileira, mas existem renomados autores, utilizados como referencial teórico, que falam em uma aparente democratização do ensino, o que acarretaria consequências perversas, pois seria a representação de uma sociedade que concede, através das políticas públicas de ações afirmativas, direito de acesso ao ensino superior à alguns brasileiros de forma simulada e vazia, sem uma efetiva inclusão ou ascensão social desses sujeitos. O objetivo do trabalho é, então, identificar as representações elaboradas por esses sujeitos, alunos egressos de instituições particulares de ensino superior, sobre a política pública do FIES, explorando a vivência deles/delas nas faculdades. Metodologicamente será analisada a evolução da legislação brasileira que regulamenta o FIES, bem como serão realizadas entrevistas com alunos egressos de Salvador e Região Metropolitana, analisando as histórias de vida dos mesmos, visando constatar quais as principais mudanças e consequências que a graduação acarretou nas suas vidas, na sua identidade. A dissertação, portanto, buscará uma reflexão crítica sobre o FIES na educação superior brasileira e sobre a utilização de dinheiro público para financiar instituições privadas, sob o fundamento da inclusão social e racial, investigando com os alunos egressos se realmente está ocorrendo esta inclusão ou uma mera inclusão para exclusão.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.