Os desafios e limitações do professor de FLE (francês língua estrangeira) em uma comunidade rural de Alagoinhas

Sílvia Maria Santos Marinho

Resumo


Esta pesquisa tem por objetivo investigar as práticas de letramento desenvolvidas pelo professor de Língua Estrangeira (Francês) na Escola Estadual Dr. João Carlos Meireles Paulilo, situada em Riacho da Guia, comunidade campesina, distrito de Alagoinhas, visando compreender se as mesmas contribuem para a formação de um sujeito crítico, e de que forma o ensino de FLE promove o reconhecimento desse indivíduo, enquanto cidadão, para que ele possa descobrir as várias formas de conhecer o mundo, mesmo pertencendo a uma comunidade do campo. O presente trabalho terá como suporte teórico estudos realizados por Magda Soares (2001); Paulo Freire (1977); Ângela Kleiman (2006); Tomaz Tadeu da Silva (2013); Silviano Santiago (2004); Gilles Deleuze e Félix Guattari (2000), para discutir e ressignificar as práticas de letramento e a formação do professor de língua estrangeira (Francês). Esses autores são tomados como referência, na medida que refletem sobre o processo de formação do sujeito crítico e a formação do professor de língua estrangeira. Para desenvolvimento desse trabalho, serão feitas observações em sala de aula, além de entrevistas, para visibilizar e investigar o trabalho desenvolvido por professores de ensino de FLE.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.