Sangue: ensaio sobre o sacrifício no Xangô de Pernambuco

Roberto Motta

Resumo


O sacrifício sangrento de animais é o ato central do culto do Xangô, conforme atesta a experiência etnográfica do autor nos terreiros e nos rituais dos mais diversos pais-de-santo: Mário Miranda (de onde, em tarde memorável, partiram minhas grandes intuições sobre o sacrifício e a economia da religião afro-pernambucana), Badia, Edu, Raminho, Amara, Babá e outros, além de sua própria participação pessoal. A iniciação ao Xangô não só acarreta muita efusão de sangue animal, como também, de certo modo, a transformação do devoto no alimento dos deuses. O sacrifício representa igualmente a suprema forma de terapia. O artigo também registra que o sacrifício, apesar do seu alto valor simbólico, não deixa de desempenhar funções muito práticas, de caráter econômico e nutricional.


Palavras-chave


Sacrifício de sangue; Festa; Fluxos de renda

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


E-ISSN 2446-7375

ISSN Impresso 2318-1990

Classificação Quals CAPES: 

História - B4

Antropologia/Arqueologia - B4

Interdisplinar - B4

Linguística e Literatura - B3

Indexadores:

 

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0